2016: um ano recorde em roubos no Rio Grande do Sul

Escalada da violência fica ainda mais evidente se comparada a 2010

Por: Marcelo Kervalt ZERO HORA

Os seis primeiros meses de 2016 tiveram a maior incidência de roubos desde o início da série histórica, em 2007. A incidência deste crime – caracterizado pelo uso de violência ou ameaça durante a abordagem – foi 20% maior do que no primeiro semestre de 2015.

Até a divulgação dos índices mais recentes, era o ano passado que liderava o ranking histórico de roubos nos primeiros seis meses.

A escalada da violência em 2015 e 2016 fica ainda mais evidente quando comparada com os indicadores de 2010. Nesse caso, o aumento do crime em relação a 2015 foi de 70%, e comparado a este ano, mais do que dobrou, chegando a 105%.

Entre 2008 e 2010, houve sequência de quedas nos assaltos em geral, período em que o comandante-geral da Brigada Militar era o coronel João Carlos Trindade.

O oficial lembra que a mesma diminuição dos roubos foi repetida nos latrocínios, assassinatos e roubos de veículos. Ele dá a receita dos bons resultados:

– Há dois aspectos. Um deles é questão estrutural, pois consegui incluir mais efetivo e veículos. O outro é motivacional – afirma.

O coronel explica que destinava a maior parcela das horas extras aos batalhões que mais diminuíssem a incidência de crimes.

– Havia essa disputa sadia em todo o período e barreiras para tudo quanto é lado. O ladrão tinha medo de andar nas ruas – avalia.

Contraponto

O que diz o governo do Estado

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) afirma que a pasta desenvolve ações gerais e pontuais para tentar reduzir os índices de criminalidade como um todo, principalmente os roubos. “Nesta semana (dia 13) foram chamados no Diário Oficial do Estado 1,2 mil candidatos aprovados em concurso da Brigada Militar e que devem estar nas ruas nos próximos meses. Novos policiais civis também serão convocados em breve.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *