JORNAL FATO NOVO: Brigadianos de folga usam seus próprios carros para prender bandidos

Cerco policial na noite de segunda ocorreu em Montenegro /Reprodução/FN
Cerco policial na noite de segunda ocorreu em Montenegro /Reprodução/FN

Várias prisões ocorreram nos últimos dias

Guilherme Baptista FATO NOVO

O novo comandante regional da Brigada Militar quer tranqüilidade no Vale da Felicidade. Mas o tenente-coronel Ronaldo Buss, que assumiu o Comando Regional de Polícia Ostensiva – CRPO Vale do Caí no último dia 13 de setembro, sabe que é um grande desafio. A maior carência é a falta de efetivo, um problema antigo é que só vem aumentando. “Temos que trabalhar com o que temos”, destacou, sobre a realidade.

Conforme o coronel Leodimar Aldo Mantovani, que deixou o comando regional após 35 anos de Brigada Militar, a região tem um certo grau de tranqüilidade, mas já começa a ter problemas devido aos criminosos que vem de fora. Ele lamenta a redução constante no efetivo. Mantovani lembra que a última vez que vieram soldados para o Vale do Caí foi em 2013, quando chegaram 30 PMs. Mas desde então calcula que mais de cem saíram, entre os que se aposentaram ou pediram transferência, incluindo os 19 municípios da região.

Para Ronaldo Buss, entre as medidas que podem melhorar a situação estão incentivos para os policiais permanecerem na corporação e na região, através de abono, além da possibilidade de chamar os que estão na reserva para atividades administrativas ou como de monitorar câmeras o videomonitoramento. Por outro lado, atualmente a falta de incentivos, juntamente com salários parcelados e a morte de colegas em serviço, tem desmotivado boa parte da tropa. Buss pretende ter audiências nos municípios, com os novos governantes após as eleições, para buscar apoio em medidas como visando à fixação do efetivo. Entre as propostas está o auxílio moradia, que pode ser implementado pelos municípios. E também investimentos em tecnologia, como videomonitoramento nas cidades e com interligação regional.

Muitas prisões
Para conter a criminalidade no Estado, foi chamada a Força Nacional de Segurança e o Governo anunciou a contratação de 1.500 novos soldados concursados. Muitos deles, cerca de 350, devem estudar na Escola da Brigada em Montenegro a partir de novembro. Mas o reforço no policiamento vai ocorrer só nas áreas que concentram maior criminalidade, principalmente em Porto Alegre. O temor é que com isso os crimes migrem para o Vale do Caí. O novo comandante regional não acredita que isso venha a acontecer e conta com o apoio dos policiais e da comunidade para combater a violência. Ele ressalta a qualificação dos policiais. Prova disso são as recentes prisões ocorridas na região.

No início desta semana, após perseguição foi presa em Montenegro uma quadrilha que assaltou uma lotérica em São Pedro da Serra. Também na segunda-feira foi interceptado em Montenegro um carro furtado e preso um indivíduo e outros dois que pretendiam resgatá-lo. Nos últimos dias também ocorreram prisões de acusados de roubos em Barão, São Pedro da Serra e Vale Real, além de operações contra o tráfico de drogas, furtos e roubos, com prisões em cidades como o Caí e Montenegro, em ações conjuntas entre Brigada e Polícia Civil. Em Pareci Novo também foram presos ontem dois acusados de envolvimento em assaltos em residências. Em todas as cidades da região têm ocorrido operações, fiscalizações e prisões. E nos recentes cercos atrás de bandidos até mesmo policiais que estavam de folga foram acionados pelos colegas e chegaram a utilizar seus carros particulares para ajudar nas perseguições. Isso mostra o empenho dos policiais em garantir a segurança da comunidade. “”Sempre tivemos espírito de companheirismo com relação aos colegas. Considerando quantidade de delinqüentes e o nível de ocorrência alguns policiais de forma voluntária compareceram ao local para realizarem as buscas”, destaca o comandante do 5º BPM, tenente-coronel Marcus Vinicius Sousa Dutra, sobre o cerco policial ocorrido no início desta semana no bairro Santo Antônio. ”É o comprometimento diferenciado do efetivo que está fazendo a diferença”, complta.

O delegado regional de Polícia, Marcelo Farias Pereira, chegou a realizar uma reunião entre delegados e oficiais da Brigada da região. O encontro foi justamente devido a preocupação com a possibilidade de migração da criminalidade para o Vale do Caí. O delegado regional salienta a integração entre Polícia Civil, Brigada Militar e Poder Judiciário, contando com informações da comunidade. “Nunca se prendeu tanto e isso certamente vai inibir a vinda de delinqüentes de fora”, acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *