JORNAL NH:Entidades vão bancar estagiários nos Bombeiros para agilizar PPCIs

1_290553ea_bfee_42bb_8688_a9d36bcd738d-1299130Estudantes serão capacitados e terão a orientação de professor; medida promete desafogar a corporação e diminuir pendências

Falta do Plano de Prevenção Contra Incêndios pode ser motivo para interdição de um estabelecimento

A falta de estrutura do Corpo de Bombeiros, aliada à escassez de efetivo e ao grande volume de processos de Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) aguardando por aprovação, muitos deles porque tiveram que ser refeitos, fez com que a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI-NH/CB/EV) buscasse uma alternativa para ajudar a solucionar o problema.

A associação fez contato com outras sete entidades para, por meio de uma parceria, ceder à corporação três estagiários dos cursos de Engenharia e Arquitetura da Universidade Feevale. Os estudantes serão capacitados pelos bombeiros, terão a orientação de um professor e o pagamento da bolsa será custeado pelos empresários.
Na avaliação do comandante dos Bombeiros de Novo Hamburgo, major Ben-Hur Pereira da Silva, a iniciativa é uma oportunidade para qualificar a mão de obra do setor. De acordo com ele, as universidades não tratam o assunto com a especificidade necessária. Dessa maneira, a maioria dos PPCIs apresentam falhas. “Os planos acabam retornando para correções. Se chegasse de acordo com a legislação, receberia a aprovação em um tempo menor. O número de retrabalho é muito grande”, destaca.
Conforme o vice-presidente de infraestrutura da ACI, Edgar Fedrizzi, até o momento, três instituições já concordaram em bancar os custos. Ele explica que a ideia é repetir os moldes da parceria realizada por meio do Conselho Comunitário Pró-segurança Pública (Consepro) em anos anteriores. Na oportunidade, estagiários realizavam o trabalho burocrático nas delegacias para permitir que os policiais civis se dedicassem à investigação.
Alteração na Lei Kiss deve agilizar pendências
Outra medida para reduzir a burocracia foi adotada recentemente pela Assembleia Legislativa, que aprovou o projeto de lei que altera a Lei Complementar 14.376, a Lei Kiss. A regra foi criada após a tragédia que matou 242 pessoas em Santa Maria em janeiro de 2013. Entre as alteraçccedil;ões, está a criação do Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB) para imóveis de baixo risco de incêndio com área de até 200 metros quadrados. O documento, agora, pode ser requerido via Internet.
Antes, era preciso elaborar uma documentação complexa que necessitava passar pela avaliação dos bombeiros antes de ser liberada. Para Fedrizzi, a mudança, que foi uma bandeira levantada pela entidade, vai desafogar o trabalho dos bombeiros e agilizar a aprovação do PPCI. “Imagino que vai resolver de 50% a 60% as situações pendentes que existem hoje em dia”, projeta.
No entanto, Fedrizzi lembra que a mudança não diminui o cuidado com os itens de segurança, pois a qualquer momento os bombeiros poderão realizar a vistoria e, caso constatado alguma irregularidade, o negócio será interditado e multado.
Desmistificando o PPCI
Para ajudar os empresários a entenderem como vai funcionar o certificado de licenciamento e esclarecer outras dúvidas, a ACI promove no dia 22 de setembro o Seminário Desmistificando o PPCI.
O evento terá a participação dos bombeiros e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), além de profissionais da ACI, com a apresentação de cases práticos e demonstração de como preencher o documento online. As inscrições podem ser realizadas no site www.acinh.com.br.
CORREÇÃO: entre as 11h e as 17h22 do dia 15/9, informamos equivocadamente que o Crea é o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura. A informação já foi corrigida.

JORNAL NH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *