Tupanciretã decreta situação de emergência na segurança municipal

IMAGEM ILUSTRATIVA
IMAGEM ILUSTRATIVA

Chefe do Executivo diz que situação na cidade é grave, e não descarta pedir ao governo estadual a ajuda da Força Nacional

Por: Naiôn Curcino ZERO HORA

O aumento dos casos de homicídios e de outros índices de criminalidade levaram o prefeito de Tupanciretã, Carlos Augusto Brum de Souza (PP), a decretar situação de emergência na segurança da cidade. Nos últimos 10 dias houve, pelo menos, dois tiroteios entre criminosos e a Brigada Militar, com a morte de um foragido, além de assalto a uma fruteira.

Até agora, neste ano, foram cinco homicídios e um latrocínio na cidade. Em todo o 2015 foram dois assassinatos. Além disso, nos últimos 30 dias foram registrados 12 roubos.

Dentro das medidas previstas no decreto publicado na segunda-feira, o Executivo Municipal pretende ainda ajudar a BM e a Polícia Civil com materiais e combustível. Para isso, enviou projeto à Câmara pedindo a autorização do Legislativo.

– Já encaminhamos para a Câmara para que autorizem. Entendo que é interesse comum, independente de cores partidárias – explica o prefeito, que é candidato à reeleição.

Segundo o prefeito são apenas três policiais por turno. Se os problemas não diminuírem, pedirá, ao Governo do Estado, o envio de agentes das Força Nacional para a cidade.

– Isso seria em um estado extremo, mas, se for necessário, vamos pedir sim _ relata o prefeito.

O Diário tentou contato com o comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo Salto do Jacuí, de Cruz Alta, responsável pelo policiamento em Tupanciretã, mas o tenente-coronel André Idalmir Savian Giuliane não foi localizado. Assim como o delegado Sandro Meinerz, responsável pela 3ª Delegacia Regional de Polícia, também foi encontrado.

Tupanciretã fica na Região Central e conta com cerca de 23 mil habitantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *