6º BPM: Linha de tiro é reinaugurada após seis anos

55417_slider_homeFoi reinaugurada nesta quinta (13), a linha (stand) de tiro do 6º BPM, que havia sido interditada em 2010 por questões de segurança. Segundo informações repassadas pela assessoria de comunicação da Brigada Militar, com o passar do tempo e com o intenso uso das instalações, além do surgimento de outras exigências técnicas para as linhas de tiro policiais, o espaço ficou sem condições de utilização. Neste ano, o então comandante do 6º BPM, major Leonardo Nunes, junto a um grupo de oficiais, tomaram a decisão de reformar a linha de tiro.

Um repasse de verba do Ministério Público do Trabalho de Pelotas fez com que as obras pudessem ser efetuadas. Além da recuperação das estruturas já existentes, foram feitos aprimoramentos técnicos no imóvel, garantindo, assim, instalações aptas para atender as demandas de treinamento da unidade.

O comandante do CRPO/Sul, coronel Nelson Alexandre Menuzzi, ressaltou que a linha de tiro segue perfeitamente as normas técnicas exigidas. “É muito importante esta questão do tiro policial. E é muito importante salientar que, em nenhum momento, nossos policiais pararam o treinamento enquanto a linha de tiro estava interditada. Usamos instalações de outros comandos e até locais privados. Mas, agora, tudo está mais fácil e este local vai oportunizar treinamento para todos do CRPO/Sul e não somente para o 6º BPM”, frisou o comandante Menuzzi.

O chefe do P3 (responsável pela coordenação de operações de polícia ostensiva da unidade, instrução e treinamento), capitão Claudiomiro Mendonça, apontou que “no dia a dia da ação policial nas ruas, diuturnamente os homens e mulheres de farda fazem de tudo para manter a tão sonhada sensação de segurança da comunidade, garantindo o ir e vir das pessoas, mesmo em áreas mais vulneráveis”.

Hoje, ressaltou o capitão Mendonça, “com a evolução da criminalidade, aumentam os desafios diários do nosso policial, pois a sociedade, cada vez mais, nos exige respostas imediatas e precisas. Por isso, destacamos a importância do treinamento do nosso efetivo. Por isso, somos incansáveis em afirmar que, a cada aula, a cada treinamento, cada disparo no alvo deve ser treinado e executado à exaustão, para que quando necessário, seja feito dentro da técnica policial”, destacou.

O comandante do 6ºBPM, tenente-coronel Ari José Cassanta Chaves, salientou que o último recurso do policial é a arma. Somos a última defesa da sociedade, por isso não podemos errar. E treinamos diuturnamente para que isso não aconteça”, ressaltou. Durante o ato inaugural, foram prestadas homenagens ao presidente do Consepro, Isaac Barreto Dutra, e ao comandante do CRPO/Sul, coronel Menuzzi.

Jornal Agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *