Bombeiros voluntários se unem aos militares para trabalhar pela comunidade

Formatura da primeira turma de bombeiros voluntários ocorreu na sexta

“Sempre tive vontade de ser bombeiro”. A declaração é do mecânico Sandro Rodrigues Dornelles, 47 anos, que realizou o sonho na última sexta-feira, dia 23. Ele foi um dos 30 bombeiros voluntários que se formaram para atuarem nas corporações de Montenegro e de Portão. Com isso, após 34 anos o Corpo de Bombeiros de Montenegro passou a ter um efetivo misto, com militares e voluntários civis. Isso já ocorria em Portão. E os bombeiros voluntários, que já tem uma atuação destacada em várias cidades da região, agora também ganham espaço na maior cidade do Vale do Caí.

O comandante dos bombeiros de Montenegro, tenente Jorge Soares, destaca que dos 30 voluntários, 19 vão atuar no município e os outros 11 em Portão. “É um ato de cidadania. Em horas de folga se dedicar à comunidade”, ressalta o tenente, sobre os homens e mulheres, das mais diversas profissões, que decidem se empenhar de forma gratuita para a comunidade. E antes de se formar os voluntários tiveram de passar por 90 horas de treinamento teórico e prático, incluindo combate a incêndio, atendimento pré-hospitalar, salvamento e com produtos químicos. “O curso foi ótimo. Muito produtivo.

Queremos ajudar a população. Vamos nos revezar de acordo com os nossos horários”, diz Sandro, sorrindo ao lembrar-se do batizado após a cerimônia, com um banho de mangueira em toda a primeira turma de bombeiros voluntários de Montenegro.

A formação dos bombeiros voluntários é um reforço importante. O quartel de Montenegro, que atende dez municípios da região, conta com apenas 16 bombeiros militares. Agora recebe 19 voluntários, o que mais que dobra o efetivo. E o tenente Soares informa que para março do próximo ano deverá ter uma nova turma, com a abertura de inscrições. A exigência é ter no mínimo 18 anos e vontade de ajudar a população.

Sandro Dornelles, que perdeu o pai faz pouco tempo, era um dos mais emocionados na formatura. Ainda mais que o mascote da turma era o seu filho, Arthur, de apenas 7 anos. O tenente Soares ressaltou ainda que a corporação está melhor equipada. No ano passado recebeu um novo caminhão que se junta ao outro de 2008, ambos com capacidade de 5 mil litros. Ainda conta com dois automóveis, caminhonete e duas embarcações, além de um veículo de resgate. E o prédio do quartel deverá receber melhorias.

Fato Novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *