Com PEC do Teto encaminhada, Planalto foca na Reforma da Previdência

Conforme Padilha, se a reforma não ocorrer nos próximos meses, existe o risco de o orçamento ser consumido pelo déficit da Previdência Foto: Bruno Alencastro /Agencia RBS
Conforme Padilha, se a reforma não ocorrer nos próximos meses, existe o risco de o orçamento ser consumido pelo déficit da Previdência
Foto: Bruno Alencastro /Agencia RBS

Ministro Eliseu Padilha diz que governo busca que as medidas estejam aprovadas até o primeiro semestre de 2017 

Por: Rádio Gaúcha

Com a expectativa de aprovar Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 ainda no final deste ano, o Planalto já começa a se mobilizar para encaminhar a Reforma da Previdência.

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade na manhã desta quarta-feira, o ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que a ideia é votar a reforma até o fim do primeiro semestre do ano que vem:

“O ajuste fiscal deve ser dividido em duas partes. Se uma não estiver viva a outra não existe. A primeira etapa é a fixação do limite das despesas. A segunda é a Reforma da Previdência”.

Conforme Padilha, se a reforma não ocorrer nos próximos meses, existe o risco de o orçamento ser consumido pelo déficit da Previdência.

“Agora que a Câmara está livre da 241, vem logo a segunda parte”, complementou o ministro.

Questionado sobre a repercussão das declarações polêmicas do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) – que acusou a Polícia Federal de ter se valido de “métodos fascistas” – , Padilha garantiu que os desentendimentos já estão sendo resolvidos.

“O presidente Michel Temer já proporcionou um diálogo entre o presidente do Senado e o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Logo isso será coisa do passado”, concluiu.

GAÚCHA E ZERO HORA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *