CORREIO DO POVO: Delegado classifica ataque em Erval Grande como “novo cangaço”

Criminosos dispararam contra viatura da BM e mataram o sargento João Marcelo Borges Desidério | Foto: Brigada Militar / Divulgação / CP
Criminosos dispararam contra viatura da BM e mataram o sargento João Marcelo Borges Desidério | Foto: Brigada Militar / Divulgação / CP

Criminosos explodiram agência e mataram sargento da BM no Norte do Estado

A Polícia Civil investiga a ação de criminosos que explodiram a agência do Banrisul na madrugada deste sábado no município de Erval Grande, no Norte do Estado. Câmeras de segurança dos arredores do banco serão utilizadas para examinar o caso. O titular da Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Joel Wagner, classificou este tipo de ação como um “novo cangaço”.

“São praticadas por organizações que agem durante a noite. Eu classifico como um novo cangaço, porque entram em uma cidade pequena, com armamento pesado, em maior número que os policiais da cidade, e que atiram”, afirmou o delegado, que está recebendo informações de policiais da região para prosseguir o caso. Joel Wagner disse ainda que analisa as circunstâncias do crime e a possibilidade de que criminosos de Santa Catarina tenham participação no caso.

Conforme relatos de moradores à Delegacia de Polícia de Erechim, por volta das 2h, criminosos armados com fuzis estavam dentro da agência e também nas laterais do banco para monitorar a movimentação. Quando perceberam a aproximação da viatura com dois policiais militares, atiraram contra os PMs. O sargento João Marcelo Borges Desidério, de 43 anos, foi atingido pelos disparos e morreu após ser levado para o hospital. O outro policial não se feriu. A quadrilha fugiu levando as armas dos PMs e quantia em dinheiro da agência não divulgada. A mesma agência do Banrisul havia sido arrombada no dia 29 de julho.

Desidério era comandante do grupamento da Brigada Militar de Benjamin Constant do Sul e auxiliava no patrulhamento de municípios da região. Natural de Alegrete, o PM tinha três filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *