Delegacias estão fechando as portas

policiais-nonoai-e-erval-grandeA corrida pela aposentadoria e a expressiva redução de agentes policiais, está revelando um cenário desolador nas Delegacias de Polícia do Rio Grande do Sul. Dezenas de Delegacias estão com penas um servidor para atender a sua população. Está é a realidade vivenciada pelos municípios de Erval Grande, Entre Rios do Sul, Barão de Cotegipe e Campinas do Sul. Já em São Valentin, a situação não é tão diferente, a DP conta com dois agentes.
Segundo o Inspetor de Polícia Claudir Fuzinatto, 51 anos de idade, que trabalha na Delegacia de Erval Grande, para atender o trabalho de Cartório e de investigação, é necessário fechar as portas pelo menos dois dias da semana. “É isso que vem ocorrendo em várias delegacias da nossa região onde não há efetivo suficiente para atender a população”, relata. Fuzinatto também declarou que está aguardando mais dois anos e meio para encaminhar o processo de aposentadoria. Quando isso ocorrer, é possível que a DP feche definitivamente.
De acordo com o Delegado de Polícia, Dr. Paulo Florentino Machado, que atua em Nonoai e em Erval Grande, os agentes estão correndo contra o tempo para se aposentar. “Eles temem perder alguns direitos previdenciários, caso haja mudanças nesta tão falada Reforma da Previdência”, comenta. Atualmente, agentes da Segurança Pública se aposentam quando somam pelo menos 20 anos de trabalho em virtude da periculosidade, no entanto, caso a lei venha a ser substituída, alguns terão que trabalhar mais 20 anos até chegar aos 65 anos de idade.
Conforme o inspetor João Moraes, 45 anos, os agentes temem ainda o fim da paridade, ou seja, quem está na ativa recebe um percentual de aumento e quem está aposentado recebe outro. Com isso, a inflação vai comendo parte dos seus vencimentos dos aposentados. João tem expectativa de se aposentar em 2 anos e 3 meses, e teme não conseguir isso antes das mudanças da lei.
Outro agente que está contando os dias para a aposentadoria é o servidor Amarildo Moura, 44 anos. Ele deve solicitar a aposentadoria em no máximo 5 meses. Na fila da aposentadoria também se encontra o Comissário Gerson Luiz de Oliveira, 53 anos. Ele pretende ingressar com o processo em aproximadamente 2 anos.
Em Nonoai, até mesmo o Delegado titular já fala em aposentadoria. Paulo Florentino Machado, 51 anos, deve cumprir apenas mais três anos de trabalho para também encaminhar a aposentadoria por tempo se serviço.
Neste último ano, a Delegacia de Polícia de Nonoai vem contabilizando um saldo negativo, pois perdeu dos de seus servidores para a aposentadoria. O último foi, no dia 19 de setembro, quando o Diário Oficial do Estado concedeu a aposentadoria do servidor Valter Moura, 51 anos de idade. Antes disso, havia saído a publicação da aposentadoria do Inspetor Sérgio Dias.
Atualmente a DP de Nonoai conta com 5 servidores e 1 delegado. No entanto, destes, pelo menos 4 já estão em fim de carreira. O Delegado defende a necessidade da urgente reposição dos agentes e ainda a criação de uma Delegacia de Polícia em Trindade do Sul, que atenderia a sede e as ocorrências de Gramado dos Loureiros. Com isso, Nonoai atenderia apenas a sede e as ocorrências de Rio dos Índios. “Temos em médias 900 ocorrências registradas, isso é além do que é suportado em uma Delegacia com cinco agentes”, relata o Delegado.

MANUEL GABOARDI PNNOTICIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *