Falta de vaga em delegacias leva BM a manter presos em viaturas há 14h

21382582Policiais militares e guardas municipais tiveram de deixar patrulhamento nas ruas da Capital para custodiar presos

A falta de vagas no sistema prisional gaúcho faz com que brigadianos e guardas municipais de Porto Alegre deixem o patrulhamento das ruas para fazer custódia de presos. Nesta quinta-feira (20), quatro policiais têm de monitorar criminosos em viaturas.

Na noite de quarta-feira, dois traficantes foram presos armados e com maconha na Paulino Azurenha, na Vila Maria da Conceição. Eles foram levados pela guarnição do 19º Batalhão de Polícia Militar até a 3ª Delegacia de Pronto Atendimento, que não possui vagas. Por causa disso, dois PMs ficaram das 20h de ontem até as 8h de hoje com os presos. Nesta manhã, outros dois brigadianos tiveram de render os colegas, e seguiam custodiando os traficantes até a publicação desta reportagem.

Situação semelhante ocorre com dois guardas municipais, que prenderam assaltantes de táxi na madrugada no bairro Passo das Pedras. Eles estão parados na frente da Delegacia de Pronto Atendimento há 10 horas.

O diretor das delegacias de plantão, delegado Marco Antônio Souza, admitiu que não há vagas nem na carceragem do Palácio da Polícia, que já recebe 20 presos. Segundo ele, os detentos ameaçam matar outras pessoas que sejam levadas para lá.

Contatada pela reportagem, a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) afirma que monitora vagas, mas reconhece a superlotação. O órgão espera conseguir resolver o probelma ainda hoje.

GAÚCHA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *