Guerra entre facções em Porto Alegre provoca três mortes e um ataque a detento no Presídio Central

presidio-central-960x600Disputa por território voltou a assombrar moradores da Vila Maria Conceição, na zona Leste da Capital

Por: Schirlei Alves ZERO HORA

Duas facções rivais que dominam áreas opostas na Vila Maria da Conceição, no Bairro Partenon, na zona Leste de Porto Alegre, voltaram a se enfrentar na madrugada desta quarta-feira. Após alguns meses de tranquilidade, os moradores tornaram a viver momentos de tensão.

Três homens foram assassinados em sequência nas ruas da vila. Os disparos foram efetuados por pistolas calibre 9mm. Um dos alvos foi Patrick de Brito Madrid. Ele foi morto na rua Mário de Artagão por volta de 1h. Em seguida, Jorge Aparecido Nascimento Aires foi assassinado na esquina entre a Travessa Farroupilha e a Rua Paulino Azurenha. A última vítima foi Maurício Cabreira Grijó, morto dentro de uma casa na Rua João do Rio.

De acordo com o delegado Rodrigo Reis, da 1ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), as vítimas tinham antecedentes por tráfico de drogas e seriam integrantes da facção que comanda a região da Pedreira.

Um rapaz de 18 anos foi preso e um adolescente apreendido como suspeitos de se serem os autores do triplo assassinato. Um segundo adolescente suspeito está foragido. As prisões foram realizadas pela Brigada Militar e pela Força Nacional, que também recolheram as armas utilizadas no crime.

— Os três agiram juntos. Agora, precisamos localizar o adolescente foragido e descobrir se houveram mais participações — disse o delegado.

Atentado dentro do presídio

O líder do grupo atacado na madrugada também sofreu um atentado no início da semana, dentro do Presídio Central. Ele foi agredido e levado para um hospital onde ficou internado sob a custódia dos agentes da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

O traficante havia sido preso há poucos dias, em operação da Brigada Militar, por porte ilegal de arma. A suspeita da Polícia Civil é de que o ataque ao líder na cadeia e aos integrantes do grupo nesta madrugada tenha sido praticado pela facção que domina a área da Baixada, no mesmo bairro.

Eles teriam aproveitado a prisão do líder rival para tentar dominar a região da Pedreira. O ataque pode também ter sido vingança pelo assassinato do filho de um dos líderes do tráfico na Baixada.

Disputa por território

A guerra na Vila Maria da Conceição começou quando o líder do tráfico no morro foi preso, há seis anos. Segundo a polícia, após a quebra da hegemonia na área, o grupo passou a se dividir e guerrear pelo domínio do território. Prisões que ocorreram entre 2012 e 2013 renderam um período de paz aos moradores.

— Quando o líder saiu de cena, diferentes pessoas que eram gerentes dele passaram a disputar o território. Naquela época, houve várias mortes e conflitos. Investigações da Polícia Civil e operações da Brigada Militar resultaram em prisões e o conflito foi apaziguado. Agora, neste ano, voltaram a disputar o controle de diferentes pontos — explicou o delegado Rodrigo Reis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *