Morte do sargento Desidério leva familiares de policiais a protestar contra falta de segurança e parcelamento de salários

Um dia depois do funeral do Sargento Desidério que morreu em ação, dia 29, em Erval Grande, familiares, esposas de militares e amigos fizeram um protesto em frente ao Quartel da Brigada Militar em Alegrete.

img-20161031-wa0047
(esposa e familiares do policial)

20161031_093006

Com camiseta e balões pretos eles protestam pelo caos da segurança pública no Rio Grande do Sul e o parcelamento de salários que acontece há nove meses.

img-20161031-wa0045

A irmã do sargento que tombou enquanto patrulhava, somente entre dois, vários municípios da região de Erechim, Denise Desidério, mesmo abalada disse que não adiana ficar em casa chorando. “Ninguém aguenta mais o descaso e o desrespeito, imagine meu irmão morreu por 450 reais parcelado. A esposa não tem dinheiro e se não fosse a família e amigos não podíamos nem fazer seu funeral, desabafa a irmã que também é esposa de policial da Brigada.

img-20161031-wa0039

A sogra de um policial militar, Silvia Mendes, revoltada disse que se não fosse ela ajudar a filha e o genro, não sabe como iam se virar com o parcelamento. “Eles não têm hora para nada e trabalham sem parar e ainda não recebem. Que isso, Sr. Governador,isto não vai acabar bem e o povo gaúcho não merece tanto descaso”, enfatiza a dona de casa.

img-20161031-wa0036

A faixa deixa clara o estado em que estão todos os da Brigada Militar em relação ao governador Sartori.

O grupo disse:  Podemos até ser poucos, mas o nosso sentimento e vontade de ver as coisas melhorar com certeza e grande e sabemos que mais pessoas passam pelas mesmas coisas.

alegretetudo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *