Polícia Civil encaminha ocorrência de agressão de Silvana Conti contra PMs à Polícia Federal

Polícia Civil encaminha ocorrência de agressão de Silvana Conti contra PMs à Polícia Federal Bruno Alencastro/Agencia RBS
Confusão ocorreu durante o voto da Ex-presidente Dilma Rousseff no último domingo Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

Segundo André Mocciaro, delegado responsável pela 6ª DP, em tese, caso se encaixa em crime eleitoral 

Por: Zero Hora

O delegado responsável pela 6ª Delegacia de Polícia (DP) de Porto Alegre, André Mocciaro, vai encaminhar a ocorrência registrada por dois policiais do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Porto Alegre contra a vice de Raul Pont, Silvana Conti, pelo crime de lesão corporal à Polícia Federal. No entendimento de Mocciaro, a área onde aconteceu o fato, a Escola Estadual Santos Dummont, na zona sul da Capital, era de responsabilidade da União, “porque, entre outros fatores, naquele momento, estava sendo usada como colégio eleitoral”.

— Em tese, esse caso é de responsabilidade da Polícia Federal. O local estava sendo usado pela União e a ordem de um juiz eleitoral não foi cumprida. Esses fatores apontam, no meu entendimento, para um caso de crime eleitoral — explicou o delegado.

O responsável pela 6ª DP também afirmou que a PF vai analisar de quem é a responsabilidade pela ocorrência registrada pelos policiais do 1º BPM. Mocciaro esclareceu que duas ocorrências foram feitas pelos policiais. Uma por lesão corporal, contra Silvana Conti, que teria arremessado um vaso de flores contra um dos PMs, e outra por dano ao patrimônio, onde não foi apontado autor. Alguns civis quebraram vidros da escola na ocasião.

Segundo a assessoria da candidata,Silvana também registrou ocorrência contra os policias e fez exame de corpo de delito. Ela alegou que foi agredida pelos PMs com chute. A candidata deixou a seção de votação mancando, acompanhada por amigos, e reclamou da ação da Brigada Militar.

O caso

No último domingo, durante voto da ex-presidente Dilma Rousseff em sua seção eleitoral, no Colégio Estadual Santos Dumont, na Vila Assunção, aconteceu confusão envolvendo jornalistas, militantes e policiais militares.

O desentendimento começou após o juiz eleitoral Niwton Carpes da Silva orientar por telefone Luiz Carlos da Silva, chefe da 160ª zona eleitoral, a impedir que a imprensa acompanhasse a ex-presidente votando. O tumulto acabou com vidros quebrados e pessoas feridas.

A vice de Raul Pont, Sivana Conti (PCdoB), saiu ferida da confusão. Ela conta que foi agredida por um policial. Irá reistrar ocorrência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *