ZERO HORA: De que área são os servidores que recebem os salários em dia no Rio Grande do Sul

Palácio Piratini Parcelamento atinge cerca de 300 mil trabalhadores estaduais, como professores e profissionais da saúde, porém há setores não afetados

Há oito meses, cerca de 300 mil servidores estaduais recebem os salários parcelados no Rio Grande do Sul. Devido à independência entre os poderes, a medida atinge quem está ligado ao Executivo, como professores e profissionais da área da saúde, por exemplo.

Há outro grupo que recebe em parcelas. São funcionários de autarquias que dependem de repasses do RS e de fundações de direito público. No entanto, mesmo nesse grupo, há quem receba os vencimentos em dia. As informações são do blog Cenário Político da Rádio Gaúcha.

Quem trabalha em autarquias que prestam serviços e, assim, têm receitas próprias, está com o salário em dia. Esses órgãos são superavitários (que têm sobra de recursos) e integrados, principalmente, por celetistas. Os servidores nessa situação são contratados por concurso público, mas geridos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). O mesmo caso é aplicado para fundações de direito privado. A folha desses órgãos beneficia cerca de três mil trabalhadores e soma R$ 30 milhões.

Veja a lista de quem está com o salário em dia:

Os servidores que atuam em empresas estatais também estão sem atrasos nos contracheques. Essas companhias têm sócios, sendo o Estado o principal acionista. São elas:

– Detran
– Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs)
– Junta Comercial do RS
– Porto de Rio Grande
– Instituto Riograndense do Arroz (Irga)

O mesmo ocorre com os trabalhadores de fundações de direito privado, que recebem no segundo dia útil do mês:

– Fundação de Proteção Especial (FPE)

– Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapergs)

– Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec)

– Fundação de Economia e Estatística (FEE)

– Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH)

– Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha

– Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase)

– Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS)

– Fundação de Zoobotânica (FZB)

– Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan)

– Fundação Piratini (TVE e FM Cultura)

– Fundação Theatro São Pedro

– Fundação de Proteção Ambiental (Fepam)

– Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e Pessoas com Altas Habilidades (Faders)

– Universidade Estadual do RS (Uergs)

Os servidores de estatais recebem os salários em parcela única até o quinta dia útil do mês. São elas:

– CEEE
– Corsan
– Banrisul
– Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR)
– Companhia de Processamento de Dados do RS (Procergs)
– Badesul
– Centrais de Abastecimento do RS (Ceasa)
– Companhia Estadual de Cilos e Armazéns (Cesa)
– Companhia Riograndense de Artes Gráficas (Corag)
– Companhia Riograndense de Mineração (CRM)
– Companhia de Gás do RS (Sulgás)

O governador José Ivo Sartori possui dois salários e, em ambos, recebe parceladamente. Ele recebe R$ 25.322,25 (bruto) como governador. Após os descontos, o líquido fica em R$ 11.456,55 (devolução espontânea: R$ 4.205,33; estorno teto constitucional: R$ 945,26; e demais descontos obrigatórios). O vencimento Fundo Estadual de Previdência Parlamentar (Feppa) é de R$ R$ 6.330,56 (bruto) ou R$ 4.449,36 (líquido).

Os secretários estaduais também recebem os salários parcelados. No entanto, a regra não vale para aqueles que têm cargos eletivos na Assembleia Legislativa ou na Câmara Federal, já que eles levam junto o salário integral. São eles:

– Lucas Redecker (Minas e Energia)
– Gerson Burmann (Obras, Saneamento e Habitação)
– Pedro Westphalen (Transportes e Mobilidade)
– Ernani Polo (Agricultura e Pecuária)
– Fabio Branco (Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia)
– Giovani Feltes (Fazenda)
– Marcio Biolchi (Casa Civil)

Veja a lista de quem recebe o salário parcelado:

– Todos os servidores estatutários ligados ao Poder Executivo
– Instituto de Previdência do Estado – IPE (a Justiça bloqueou as contas do órgão na última sexta-feira e, assim, os salários de 1,5 mil servidores foi quitado)
– Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH)
– Daer
– Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI)
– Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Fospa)
– Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (FIGTF)
– Fundação de Pesquisa Agropecuária (Fepagro)
– Fundação de Proteção e Pesquisa em Saúde (Fepps)

4 Comentários

  1. Estranho,aqui não aparece a FDRH. Porque tiraram da lista a Fundação,que sempre recebeu em dia?E sempre no 1º dia útil.Na lista da ZH a FDRH aparece,aqui não.

  2. Daniel Santos Quaresma

    QUE LIXO DE GOVERNO E PIOR TODOS QUE VOTARAM NELE SABIAM NO QUE DARIA OU O BRITO NÃO DEU PARA APRENDER EU NÃO VOTEI MAIS ESTOU ME RALANDO POR OSMOSE. ESTAREMOS PREJUDICADO ATE O ULTIMO DIA DESTE DESGOVERNO.

  3. Obrigado pela correção ref a FDRH.Falando nela e em outras,que não são poucas,que recebem e receberam a vida toda em dia,13º,salário,férias,tudo.A PM que enfrenta estes assassinos o dia todo,nas ruas,em becos,lidando com a mais alta periculosidade,recebe o salário parcelado.A BM jamais deveria ter seu salário parcelado e tem que ter o mesmo salário de um Vereador,cada policial.Quem enfrenta a bandidagem no dia a dia,tem que receber e por direito um salário comparado a um político.Em outros países a polícia é bem remunerada e com ótimas armas.Aqui é tudo contrário.Uma vergonha.Sem falar até em coletes vencidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *