Efetivo da Força Nacional destinado à investigação chega em POA até 4ª

20896346Servidores serão incorporados à Polícia Civil e ao IGP para combate a homicídios na Capital

A partir da madrugada desta segunda-feira (21), 37 servidores da Força Nacional de Segurança começam a se deslocar de Brasília para Porto Alegre para reforçar o efetivo da Polícia Civil e do Instituto Geral de Perícias (IGP). A equipe virá ao Rio Grande do Sul em viaturas e a previsão inicial é de que o grupo chegue na capital gaúcha entre terça (22) e quarta-feira (23).

Os novos agentes irão trabalhar com foco na investigação e na prevenção de homicídios em Porto Alegre. Na Polícia Civil, serão 27 servidores, sendo um delegado. Segundo o diretor do Departamento de Homicídios, delegado Paulo Grillo, eles serão distribuídos em áreas conflagradas, como os bairros Rubem Berta, Lomba do Pinheiro, Vila Cruzeiro e Restinga.

“Vamos procurar empregar esse efetivo naqueles locais, naquelas delegacias que têm a atribuição de investigar aqueles locais de Porto Alegre onde hoje nós observamos uma maior incidência, um maior número de homicídios que estão acontecendo”, disse Grillo.

Já o IGP receberá seis papiloscopistas e quatro peritos, que irão reforçar as equipes que fazem atendimentos em local de morte e em exames de armamentos.

“Os papiloscopistas também trabalham em crimes contra o patrimônio, em arrombamento de residência, em revelação de digitais, mas com os peritos, em princípio, nós vamos focar nos crimes contra a vida, atendimento em local de morte, relacionado à exames de armas”, explica o diretor-geral do IGP, Cléber Müller.

Ainda não há uma data específica para que os servidores da Força Nacional comecem a trabalhar efetivamente em Porto Alegre, mas isso deve ocorrer até o final desta semana. O Chefe de Polícia, Emerson Wendt, afirma que já conversou com o delegado responsável pela área de investigação da Força Nacional e, assim que o grupo chegar na Capital, haverá uma definição de como será feita a integração e distribuição dos servidores entre as delegacias especializadas na investigação de homicídios.

Plano de segurança
Porto Alegre está entre as três primeiras cidades a receber o efetivo da Força Nacional, que atuará especificamente na investigação, e não apenas no policiamento ostensivo. Além da capital gaúcha, Natal e Aracaju serão contempladas em um projeto piloto do Plano Nacional de Segurança, em elaboração pelo Ministério da Justiça, que deverá ser estendido para todas as capitais até o fim de março do ano de 2017.

Policiamento de rua
No início de novembro, foi confirmado que os agentes da Força Nacional que atuam no policiamento ostensivo também vão permanecer por tempo indeterminado em Porto Alegre. Desde o início de setembro, 136 integrantes da Força atuam ao lado da Brigada Militar no policiamento ostensivo de Porto Alegre.

 

GAÚCHA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *