Morte de PM escancara fragilidade da segurança no Alto Uruguai

8da0fa1112e3adc9eab85eac53843648Famílias de policiais manifestam mais preocupação, além do parcelamento de salários

As manifestações dos agentes de segurança pública no Alto Uruguai pela morte do PM João Marcelo Borges Desidério, em confronto com uma quadrilha de arrombadores de bancos em Erval Grande,vão se estender em Erechim. A falta de efetivo da Brigada Militar no 13BPM foi escancarada com este episódio e o risco de novas ações de quadrilhas é eminente. Diante disso as autoridades e lideranças da região voltam a pressionar o Estado a permitir a formação de duas turmas de PMs com os concursados da região que podem estudar e receber instrução em Erechim. Além disso, em audiência com a cúpula da segurança pública na próxima semana, as lideranças vão pedir que os PMs que trabalham em outras regiões possam voltar ao Alto Uruguai.

Nesta sexta-feira, no Santuário de Fátima em Erechim, vai ser rezada a Missa de 7º Dia da morte do sargento João Marcelo onde se espera reunir um grande numero de representantes de instituições, policiais e familiares. A missa, às 18h30, vai servir também para a manifestação de solidariedade da comunidade aos policiais, diante da crise no setor.

A fragilidade da segurança pública no Alto Uruguai é caótica e foi exposta na execução do PM. A ocorrência de Erval Grande tem uma repercussão muito grande no meio e provoca reações de temor nas famílias de policiais diante do risco eminente de novas ações de quadrilhas.

AU Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *