Quadrilha que matou PM agiu com informação e planejamento, diz comando da BM

1bc6692f5779bbc1631bc6054be91bc4Em entrevista, o comandante do 13BPM revela que o grupo que roubou o banco e matou um policial, era formado por cinco homens

O comandante do 13BPM, Ten.Cel. Eliel de Souza Roque,falou com a imprensa de Erechim no final da tarde desta segunda-feira, sobe o episódio que culminou com a execução de um policial militar e a explosão de uma agência bancária em Erval Grande, no Alto Uruguai gaúcho, na madrugada de sábado(29). O comandante, visivelmente preocupado, disse ter se reunido momentos antes com os oficiais do Batalhão e que na entrevista não queria “entrar em detalhes” sobre a ocorrência, revelando poucos fatos novos sobre o fato.

O Ten. Cel. Eliel de Souza Roque confirmou que o sargento João Marcelo Borges Desidério(43) foi alvejado por 6 disparos de fuzil. Que os policiais, quando foram surpreendidos pelos bandidos, retornavam da RS 480, onde com outras duas patrulhas faziam policiamento da rodovia. A quadrilha, possivelmente formada por 5 elementos, agiu com planejamento e informação. Equipes da PM, formadas por policiais dos municípios da região, estavam na cidade no início da madrugada e se deslocaram para a rodovia justamente para fazer o trabalho preventivo e ostensivo no trecho entre São Valentim e Erval Grande, por conta da ação de quadrilhas em assaltos a ônibus de sacoleiros.

Os militares estavam sendo monitorados pelos bandidos. O comandante diz que muito provavelmente a ação do arrombamento começou quando os policiais deixaram a cidade. O que não esperavam os bandidos era o retorno dos PMs. Bem posicionados, fortemente armados e com o arrombamento em andamento, os bandidos reagiram a aproximação da viatura. Os policiais estavam em dois na viatura e com um alvejado e gravemente ferido, eles foram rendidos, tiveram suas armas roubadas, viatura danificada, telefones celulares e radio comunicação destruídos. Os bandidos só liberaram os policiais depois que concluíram o arrombamento. Os caixas eletrônicos já tinham sido arrombados e as explosões com dinamite, que resultaram na destruição da agência, foi uma tentativa de abrir o cobre do banco.

O comandante do 13BPM disse na entrevista desta segunda-feira(31), que as buscas continuam, mas não revelou detalhes sobre as investigações. Um veículo usado pela quadrilha foi abandonado nas proximidades da balsa que faz a travessia do Rio Uruguai, em Erval Grande, tem registro de furta em Curitiba.

Nos meios policiais circulam informações sobre a forte suspeita de participação na quadrilha de no mínimo uma pessoa da cidade e que a Polícia Civil, que assumiu as investigações, supostamente trabalha com a possibilidade de a quadrilha tem ligações com os estados do Paraná e Santa Catarina.

Na entrevista, o militar que comanda a PM no Alto Uruguai, admite o enfraquecimento da corporação na área. Diz que vai pedir ajuda dos prefeitos para dotar as cidades de um sistema de monitoramento auxiliar. Confirmou que o policial que fazia dupla com o sargento João Marcelo, vai permanecer afastado e se necessário, passará por tratamento psicológico.
AU Online

1 Comentário

  1. Joao Carlo[s Aquino

    Essa conversa..balela de Comandante…não quer se indispor com Comando Superior.. INFELIZMENTE faz parte….Sempre é CULPA …OUTREM….

    Queria ver na Linha de frente…!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *