Rádio Guaíba: Duas em cada três casas prisionais estão superlotadas no RS

presidio-central-960x600Faltam 11 mil vagas no sistema prisional gaúcho

Um levantamento realizado pela Rádio Guaíba, com base nos dados da Superintendência dos Serviços Penitenciários do Estado (Susepe), aponta que duas em cada três casas prisionais do Rio Grande do Sul estão operando acima da capacidade máxima de detentos. Das 147 casas prisionais gaúchas, incluindo os anexos prisionais, 99 estão superlotadas.

As maiores taxas de superlotação ficam nos prédios anexos aos presídios de Lajeado, São Borja e no Presídio de Encantado, onde situam-se mais de três presos para cada vaga. Outra informação obtida através dos dados da Susepe dá conta de que o Rio Grande não possui vagas para quase oito mil presos do regime fechado. Ao todo, faltam 11 mil vagas no sistema prisional gaúcho.

A falta de vagas no sistema carcerário está provocando problemas, não só para a Susepe, mas também para outras instituições da segurança pública do Estado. Muitos infratores detidos ficam retidos em carceragens de delegacias de polícia. Quando essas também ficam superlotadas, viaturas da Brigada Militar são utilizadas para manter as pessoas detidas. Um micro-ônibus da Brigada Militar está estacionado dentro do Palácio da Polícia Civil, em Porto Alegre, abrigando presos que aguardam vaga no sistema penitenciário gaúcho.

Recentemente, o secretário de Segurança Pública do Estado, Cezar Schirmer, apresentou medidas para minimizar os problemas no sistema prisional gaúcho. Centros de triagem devem ser instalados nos próximos meses para amenizar a situação nas delegacias de polícia. Contêineres também serão usados para separar detentos.

Fonte:Eduardo Paganella / Rádio Guaíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *