Sem vagas em presídios, Governo estuda utilizar contêineres para abrigar detentos

Presos ficam retidos em viaturas da BM enquanto aguardam vagas. Foto: Guilherme Testa/CP
Presos ficam retidos em viaturas da BM enquanto aguardam vagas. Foto: Guilherme Testa/CP

Outros estados, como Santa Catarina, já utilizaram a ideia

Para resolver o problema da falta de vagas em presídios do Rio Grande do Sul, o que leva presos a ficarem detidos em viaturas e em delegacias, o Governo do Estado estuda a utilização de contêineres para abrigar os detentos em meio ao processo de triagem. A informação foi obtida pela reportagem da Rádio Guaíba e confirmada pela Secretaria de Segurança Pública.

A alternativa é estudada juntamente com outras possíveis soluções que o Governo pretende tomar emergencialmente. Os contêineres de carga podem ser usados provisoriamente até que se obtenham vagas no sistema prisional e que fiquem prontas as casas de triagem anunciadas em fim de outubro, para Porto Alegre e Charquedas, pelo secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer. Outros estados, como Santa Catarina, já utilizaram a ideia.

Dois pontos fazem da alternativa viável: a rapidez, já que o problema se agrava rapidamente, e o baixo investimento, compatível com os cofres do Estado. Os equipamentos terão de ser comprados pelo Governo, mas o valor é quase irrisório se comparado ao preço da construção de um prédio. Não há um prazo definido para o início da ideia, caso ela seja adotada pela SSP.

Presos em viaturas
Dois presos estão detidos em viaturas da Brigada Militar devido à falta de vagas em presídios e em celas de delegacias. Um deles, foragido do sistema prisional envolvido com o tráfico de drogas, está nesta situação desde a última terça-feira. O efetivo do Batalhão se reveza na custódia e fica afastado do policiamento, assim como a viatura.

A 2ª e a 3ª Delegacias de Polícia de Pronto-Atendimento seguem interditadas para receber detentos. A 2ª tem 11 retidos em celas, e a 3ª, quatro, além de dois sob custódia em hospitais. Conforme a Susepe, são 56 presos detidos em Delegacias de Polícia da região Metropolitana nesta quarta-feira.

Fonte: Bibiana Dihl e Eduardo Paganella | Rádio Guaíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *