Com obras no Cais, Bombeiros terão de mudar de sede: “Centro vai ser prejudicado”, adverte subcomandante

cais-mau-_portico-sem-pessoas_final-1024x576Revitalização não prevê espaço para Bombeiros; não há local definido

O Grupo de Busca e Salvamento (GBS) dos Bombeiros, que atende no Cais Mauá, vai ter de mudar de sede. O projeto de revitalização do Cais não prevê espaço para a estrutura, o que preocupa a corporação.

O GBS conta com agentes especializados em mergulho e salvamento aquático, e a localização privilegiada possibilita um tempo-resposta adequado. O grupo atende a toda a Bacia do Guaíba, desde a região de Itapuã até a região da Ponte do Guaíba, que registra o maior número de ocorrências. Com a troca de sede, para um local a ser definido, o subcomandante Isandré Antunes prevê que o Centro Histórico deve ser prejudicado:

“Hoje a Companhia Especial de Busca e Salvamento, mesmo com a divisória física que é o muro da Mauá, é a única unidade de Bombeiros que está presente no Centro Histórico de Porto Alegre. Quando houve o incêndio no Mercado Público, fomos a primeira unidade a chegar, mesmo que não tenhamos diretamente relação com o combate a incêndio”, admite. “Na medida em que venhamos a ser movimentados, o Centro Histórico perde tempo-resposta, porque não vai haver unidade de Bombeiros tão próxima. Se nenhuma outra unidade for ativada, o Centro com certeza vai ser prejudicado”, lamenta.

Com a saída do GBS, a unidade mais próxima do Centro fica na avenida Aureliano de Figueiredo Pinto. A corporação vem tentando acertar a situação com a prefeitura desde 2014, mas sem resposta concreta. A próxima gestão deve ser contatada. O subcomandante garante que os Bombeiros não devem sair dali enquanto não houver outro espaço disponível. Conforme Antunes, a responsabilidade por encontrar um espaço é da prefeitura; já a construção da estrutura deve ser feita pela empresa responsável pela revitalização.

Há a possibilidade de que a nova sede do GBS fique próxima à Rótula das Cuias, área considerada “o limite” para o atendimento qualificado em água, segundo o subcomandante. Ele lembra que, principalmente na primavera, há muitas ocorrências envolvendo cheias na região das Ilhas – ocorrências também atendidas pelo GBS.

A Rádio Guaíba tentou, sem sucesso, contato com a Prefeitura de Porto Alegre, que ainda não se posicionou.

Fonte: Bibiana Dihl | Rádio Guaíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *