Confira os deputados que aprovaram a extinção da Fepagro e da FIGTF

Assembleia Legislativa aprova a extinção da Corag

Com o fim da autarquia, 197 funcionários celetistas devem ser desligados

Após mais de seis horas de discussões, o projeto de lei extingue a Companhia Rio-grandense de Artes Gráficas (Corag) foi aprovado nesta quarta-feira pela Assembleia Legislativa. O placar foi de 28 votos a favor e 24 contra. O PL 244 foi a sexta proposta do pacote do governo José Ivo Sartori a ser analisada pelos deputados.

Criada há 43 anos, a Corag — uma sociedade de economia mista — é a gráfica responsável por editar o Diário Oficial do Estado, além de outros materiais gráficos. Também tem o Estado como cliente para impressão de documentos do Detran. No ano passado, a receita da companhia foi R$ 54,6 milhões e a despesa, R$ 46,9 milhões.

Com a aprovação do proposta, a Procergs deve absorver parte dos serviços que a companhia presta atualmente, e o restante deve ser contratado da iniciativa privada. Os 197 funcionários devem ser desligados, pois possuem vínculo pela CLT. A extinção deve significar R$ 8,4 milhões a mais aos cofres do Rio Grande do Sul, conforme cálculos do Piratini.

Parlamentares de oposição criticaram o projeto do Executivo. Segundo o deputado Valdeci Oliveira (PT), não há argumento racional para a extinção da Corag.

— Ela dá lucro de R$ 50 milhões por ano e tem um quadro enxuto. É uma contradição absurda que o governo quer justificar com o injustificável. O argumento é decisão e concepção ideológica de Estado mínimo, de acabar com tudo independente do resultado que tenha.

Sessão na Assembleia Legislativa durou mais de 18 horas

Por 29 votos a favor e 23 contra, depois de mais de 18 horas, na sessão mais longa da história da casa, a Assembleia Legislativa (AL) aprovou, na manhã desta quarta-feira, o projeto de lei 240/16, que extingue a Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (FIGTF) e a Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro).

A partir da sanção do governador José Ivo Sartori, autor da proposta, as atribuições e competências da Fepagro passarão a ser desempenhadas pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação. Já as da FIGTF passarão para a Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer. Confira como votaram os deputados estaduais:

Fonte:Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *