Polícia analisa imagens para identificar envolvidos na morte de PM e de adolescente em São Gabriel (vídeo)


O delegado de São Gabriel, José de Bastos, analisa imagens feitas por moradores e de câmeras de segurança de um posto de combustível onde uma briga no último domingo terminou com a morte de um PM e de um adolescente. O objetivo da polícia é identificar mais quatro envolvidos no crime e verificar como ocorreram as duas mortes, além do caso de um homem que teria sido ferido por bala perdida.

Uma terceira pessoa também ficou ferida, mas a situação dela está sendo averiguada. Sete adolescentes entre 15 e 17 anos, entre eles uma menina, foram apreendidos e dois adultos estão presos.

A polícia também analisa fotos publicadas nas redes sociais dos próprios adolescentes mostrando as armas que usaram para matar o PM.

Investigação

O soldado Bento Junior Teixeira Borges, 36 anos, estava de folga e tentou apartar uma briga. De acordo com o delegado Bastos, dois adolescentes não aceitaram a intervenção do brigadiano e investiram contra ele com golpes de facas. O policial acabou atirando e matou o adolescente João Gabriel Ferraz, 16 anos.

“Ele era um dos jovens que investiu contra o soldado. Estamos verificando todos os fatos e agindo de forma imparcial”, ressalta Bastos.

Após a morte do adolescente, os outros jovens que estavam envolvidos na confusão começaram a agredir o PM com golpes de facão, pedras, barras de ferro e cones de trânsito. A arma dele caiu no chão e um adolescente acabou juntando. A pistola já foi recuperada e foi periciada. O PM morreu no hospital. Os detidos preferiram não se manifestar.

Indiciamento

A polícia pretende indiciar os envolvidos por homicídio triplamente qualificado, furto qualificado (em relação à arma do PM) e dano ao patrimônio (em relação ao carro do soldado que foi depredado), além de corrupção de menores no caso dos adultos. Os dois homens estão detidos no Presídio de São Gabriel, os seis adolescentes foram encaminhados para a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase) de Santa Maria e a adolescente para a Fase em Porto Alegre.

A polícia tem dez dias para concluir o inquérito.

GAÚCHA

Deixe uma resposta