“Quem é pai, não tem como não se emocionar” diz o policial que socorreu bebê

O policial Enoque levou a criança até o Pronto-Atendimento do Patronato. Foto: Divulgação

Criança, com menos de 15 dias, foi encontrada na noite de quarta-feira em Santa Maria

por Raul Pujol A RAZÃO

“Quem é pai, o sentimento aflora”, disse o policial Enoque Machado Esmério, da Brigada Militar (BM), que na noite de quarta-feira viveu um dos episódios mais marcantes de sua carreira profissional.  Um bebê recém-nascido, com no máximo 15 dias de vida, foi encontrado por volta das 23h20, em Santa Maria. A criança estava no pátio de uma residência na Rua Andradas, no Bairro Passo D’ Areia, e foi localizada por Denise De Paula, proprietária da casa, que percebeu o choro do bebê quando chegava em casa e logo ligou para a Brigada.

De acordo a dona de casa, Marina de Oliveira, 25 anos, vizinha de Denise, o bebê estava um pouco sujo de sangue no umbigo e com várias picadas de mosquito. Ela amamentou o menino por 15 minutos. “Ele estava com muita fome, é de cortar o coração alguém que faz isto com uma criança indefesa. A Denise me pediu ajuda, então amamentei a criança e fiz o que pude para auxiliar”, disse ela.

O bebê estava enrolado em um lençol na grama da casa. “Ele nasceu de novo, graças a Deus. A noite estava fria e garoando, sorte que localizaram o menino. Acho que ele não sobreviveria se passasse uma noite inteira ao ar livre”, ressaltou o soldado Enoque, que atendeu a ocorrência com a sua colega Janaína Ribas.

A criança teria nascido por meio de parto doméstico. Ela foi encaminhada ao Pronto-Atendimento do Patronato, onde recebeu os primeiros atendimentos, e após, foi levada ao Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), onde passa bem.

Na sexta-feira, ela seria levada para o Lar de Miriam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *