CORREIO DO POVO: Penitenciária de Charqueadas passa por ampla vistoria

Grupo de Operações Especiais fizeram uma ampla revista na Pasc | Foto: Almir Riccardo / Divulgação / CP

Objetivo foi fazer uma minuciosa inspeção para evitar “surpresas futuras”

Agentes penitenciários do Grupo de Ações Especiais da Superintendência dos Serviços Penitenciários (GAES/Susepe) realizaram ampla vistoria na Penitenciária Modulada de Charqueadas entre o início da noite de terça-feira e a madrugada de quarta-feira. A inspeção incluiu áreas de lazer e celas. A casa prisional registrou, em 3 de janeiro, uma briga generalizada entre duas facções rivais. O confronto resultou na morte de um detento e em ferimentos em um policial militar e outros dois presidiários.

O conflito envolveu as facções Manos e CPC contra a facção Abertos, das galerias 4B e 4C. Na ocasião, o fato não tomou maiores proporções em razão da imediata intervenção do policial militar, ferido na cabeça, que conseguir evitar um massacre. “Realizamos minuciosa inspeção para não termos surpresas futuras”, justificou um dos agentes.

Segundo ele, o sistema prisional gaúcho abriga cerca de 100 integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). “Mas, no momento, não há risco de ocorrer algo semelhante ao registrado no Norte do país. Isto porque aqui, no Rio Grande do Sul, o PCC não ganha espaço, já que as outras facções não querem eles aqui”, frisou. Segundo ele, os integrantes do PCC não estão confinados em um único presídio. “Estão espalhados e não têm muito poder ainda”, atestou.

Deixe uma resposta