Emoção marca despedida de sargento da BM morto em Caxias do Sul

Cortejo fúnebre percorreu as ruas de Caxias do Sul na manhã desta quarta-feira
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Edir Hendges Welter, 47 anos, foi assassinado durante um assalto na noite de segunda-feira

Por: Pioneiro

A despedida do sargento da Brigada Militar (BM) Edir Hendges Welter, 47 anos, morto a tiros em Caxias do Sul, comoveu familiares e colegas de farda, que se reuniram na manhã desta quarta-feira para prestar as últimas homenagens na capela onde ocorreu o velório. Após uma carreata com caminhão do Corpo de Bombeiros e viaturas policiais com sirenes ligadas, Welter foi sepultado no cemitério de São Jorge da Mulada. Cerca de 50 veículos participaram do cortejo fúnebre pelas ruas da cidade.

Muito emocionado, o comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM), major Jorge Emerson Ribas, relembrou a história do sargento junto à corporação e também exaltou o profissionalismo e bom humor do colega.

— Fica a saudade do sorriso franco, da alegria que ele transmitia aos colegas, além de ter sido sempre exemplo de fidelidade ao Comando, de responsabilidade e amor à Brigada Militar. A perda do sargento Welter, ao mesmo tempo que nos entristece, deixa uma lição de união. Agora, sabemos que não devemos buscar a vingança, mas sim o cumprimento da Justiça — ressaltou Ribas.

Além de policiais militares, membros da Guarda Municipal, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Comando de Operações Especiais (COE), Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) participaram da despedida.

O crime

O sargento Welter foi assassinado durante um assalto em frente a uma casa de lanches na noite de segunda-feira, em Caxias. O crime aconteceu na Rua Moreira César, bairro Pio X, próximo ao colégio São João Batista.

Imagens divulgadas pela Brigada Militar mostram três homens correndo e, posteriormente, fugindo em um veículo logo após o assalto. As informações são desencontradas quanto a uma possível reação do brigadiano. Não há certeza se o sargento sacou a arma e fez algum disparo. Testemunhas relataram apenas uma sequência de três tiros. Um desses disparos foi o que acertou o ombro do sargento e atingiu o coração. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu minutos depois.

No final da tarde de terça-feira, Éder Martin Leite, 37 anos, suspeito de envolvimento na morte Welter, morreu em confronto com a BM no bairro Cidade Industrial. Outros dois homens foram presos.

Deixe uma resposta