Feltes descarta uso do Banrisul como contrapartida para socorro da União

Ao Valor Econômico, fontes do governo federal afirmaram que o Rio Grande do Sul dificilmente sairia do colapso nas finanças sem a venda do banco

Por: Kelly Matos

O secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, Giovani Feltes, negou de forma enfática nesta quinta-feira que o governo federal tenha imposto a privatização do Banrisul como condição para fechar o acordo de socorro financeiro ao Estado. A informação foi publicada pelo jornal Valor Econômico.

De acordo com a reportagem do Valor, fontes do governo federal teriam admitido que “dificilmente o problema do Estado será resolvido sem a venda”.  Questionado pelo blog Cenário Político, da Rádio Gaúcha, Giovani Feltes disse que a privatização do banco está “fora de cogitação”.

– O governo federal não exigiu nenhuma contrapartida neste sentido. Longe disso. A privatização do Banrisul está fora de cogitação – afirmou.

Feltes participou de reunião com o ministro da Fazenda e o governador José Ivo Sartori na última terça-feira, em Brasília. O encontro faz parte da renegociação das dívidas de Estados com a União. Um dia após a reunião, em entrevista ao Gaúcha Atualidade, Feltes já havia mencionado o assunto:

– A possibilidade de privatização do Banrisul é zero. Absolutamente zero.

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro foi o primeiro Estado convocado para discutir o plano de socorro financeiro, este ano, e uma das exigências foi a privatização da Companhia Estadual de Água e Esgotos do Estado do RJ (Cedae). Nesta quinta-feira (26), o presidente Michel Temer receberá o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, para discutir o tema.

 

Deixe uma resposta