GAÚCHA: “Presídio federal não resolverá superlotação em prisões do RS”, diz Schirmer ( ÁUDIO )

Segundo secretário estadual da Segurança, três municípios já manifestaram interesse no projeto

 

Três municípios gaúchos manifestaram interesse em receber o presídio federal prometido pelo presidente Michel Temer. Em entrevista nesta terça-feira (10) ao Gaúcha Atualidade, o secretário estadual da Segurança, Cezar Schirmer, evitou antecipar que cidades seriam. Segundo ele, o governo quer evitar o ambiente de disputa e afirmou que a escolha será conforme critérios técnicos.

Entre os pré-requisitos impostos pelo governo federal para o projeto, estão a necessidade de uma área plana de, no mínimo 25 hectares, e que o município seja próximo a um aeroporto. Schirmer também admitiu que o presídio não irá desafogar as casas prisionais do Estado, mas que a proposta é outra.

“O presídio federal não vai resolver o problema da superlotação nos presídios do Rio Grande do Sul. É para um tipo diferenciado de preso, que tem que ser isolado da sua facção criminosa. Além disso, o Estado tem tido dificuldade de colocar presos gaúchos em presídios federais”, diz Schirmer.

Conforme a Secretaria Estadual da Segurança, apenas quatro presos do Rio Grande do Sul cumprem pena, hoje, em presídios federais. Segundo ele, o projeto também garantirá ao Estado uma casa de segurança máxima moderna bancada integralmente pela União.

“Isso é economia de recursos”, avalia o secretário.

Entre os fatores que têm atraído prefeitos interessados no projeto está a contratação de funcionários públicos e impacto disso nas economias locais. Cezar Schirmer estima que o presídio precisará de cerca de 400 servidores federais.

GAÚCHA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *