Policiais civis aposentados poderão atuar na Força Nacional de Segurança

Após inscrição, convocação deve acontecer no prazo máximo de dois anos a contar da data da divulgação da aprovação

Por: Agência Brasil

O Ministério da Justiça e Cidadania publicou hoje (20), no Diário Oficial da União, edital de seleção de policiais civis aposentados para atuação na Força Nacional na condição de colaboradores voluntários. De acordo com o texto, as inscrições deverão ser feitas diretamente no sistema intranet do Departamento da Força Nacional de Segurança Pública.

 

Os critérios para participar do processo seletivo incluem:

— ter se aposentado exclusivamente por tempo de serviço há menos de cinco anos;

— não ter sido condenado nem estar respondendo a processo nas justiças estadual, federal, eleitoral e militar;

— não estar respondendo, na instituição de origem, a processo administrativo e não ter sido punido por infração disciplinar de natureza grave nos últimos cinco anos de serviço;

— possuir, no mínimo, cinco anos de experiência em atividade operacional de polícia investigativa.

Ainda segundo o edital, a colaboração voluntária poderá ser individual ou em grupo, em ambiente fechado ou aberto, a pé ou com emprego de viaturas, nos períodos diurno, noturno ou em revezamento de turnos e sempre sob supervisão permanente.

“A atividade a ser desenvolvida pelo voluntário mobilizado será compatível com aquela em que se aposentou na instituição de origem. Em caráter geral, a colaboração se dará na região administrativa (Centro-Oeste, Norte, Nordeste, Sul ou Sudeste) do domicílio do voluntário”, diz um trecho do edital.

Voluntários aprovados no processo seletivo, conforme o texto, serão mobilizados de acordo com as necessidades operacionais da Força Nacional de Segurança Pública. A convocação deve acontecer no prazo máximo de dois anos a contar da data da divulgação da aprovação.

EDITAL FORÇA NACIONAL

1 Comentário

  1. Interessante. Vamos trabalhar sem remuneração alguma. Por isso que é mais fácil enveredar para o mundo do crime do que perseverar no bem. Mesmo que nos pagassem ainda assim o Estado estaria lucrando, pois com a experiência que os inativos tem se torna mais barato do que abrir concurso e ter de ensinar os novos policiais. Valorizem o profissional e ai sim receberão em troca bom serviços. Por estas atitudes é que a segurança pública vai cada vez pior e quem sofre é a população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *