Rádio Guaíba: Futuro comandante do policiamento na Capital quer permanência da Força Nacional de Segurança

Força Nacional de Segurança reforça policiamento desde setembro. Foto: Mauro Schaefer / CP

Coronel Jefferson de Barros Jacques assume o Comando de Policiamento na Capital na próxima semana

O futuro comandante do CPC (Comando de Policiamento da Capital), coronel Jefferson de Barros Jacques, quer a permanência da Força Nacional de Segurança (FNS) em Porto Alegre. Em entrevista à Rádio Guaíba, o coronel Jacques, que é atual corregedor da BM, garantiu dar continuidade às ações do coronel Mario Ikeda, que vai assumir como subcomandante-geral da Brigada Militar.

Um dos projetos ao qual o coronel Jacques quer dar seguimento é o da Operação Avante, que combate diversos tipos de crimes, especialmente o tráfico de drogas, e que já efetuou cerca de 3 mil prisões. Além disso, o coronel já pediu que a Força Nacional, que reforça o policiamento desde setembro na Capital, permaneça na cidade. A FNS começou com 136 agentes, mas, hoje, mantém 71 em Porto Alegre – atuando, principalmente, na Operação Avante. Parte dos militares deixou a corporação e outros foram chamados de volta pelos estados de origem.

“O comando sinalizou que [a FNS] deverá permanecer por mais algum tempo. Isso não depende diretamente do Comando, mas somos favoráveis ao emprego e ao uso. Se houver manutenção da intenção do comando através do convênio, do decreto de cooperação, nós recebemos o recurso e fazemos a gestão como está sendo feita. Eu já fui gestor da Força Nacional, operei no Rio de Janeiro durante quase um ano. A Força passa por um período de integração e atua de forma suplementar à força local. Com o passar do tempo, adquire certa autonomia, conhece o terreno e atua com mais eficiência”, destacou.

O coronel Jacques descreve como “bastante complexa” a situação da violência na Capital, e afirma que vai manter a integração da Brigada Militar com demais órgãos de segurança, como a Polícia Civil. A troca do comando acontece na próxima quarta-feira, às 10h, no campo de instrução do Batalhão Operações Especiais (BOE), no bairro Partenon.

O coronel Jacques soma 33 anos de Brigada Militar e, desses, trabalhou no policiamento ostensivo por 30. Ele serviu em todas as unidades de policiamento da Capital, no choque e em órgãos de gestão do Comando Rodoviário, além de ter sido comandante do 20º BPM e subcomandante do BOE. Ele assume o lugar do coronel Ikeda, que vai ser subcomandante-geral da Brigada Militar. O hoje subcomandante, coronel Andreis Dal’Lago, assume o comando da corporação devido à aposentadoria compulsória do coronel Alfeu Freitas.

Fonte: Bibiana Dihl | Rádio Guaíba

Deixe uma resposta