ES: Comando da Polícia Militar decide extinguir Rotam e redistribuir PMs

Unidade concentra muitos policiais na lista dos processos de expulsão. Medida será uma das primeiras da reestruturação anunciada pelo governo estadual. O efetivo, de cerca de 300 homens, será redistribuído

A reformulação da Polícia Militar já vai começar. A coluna Victor Hugo, de A GAZETA, apurou que o comando da PM resolveu acabar com a Rotam, a Ronda Ostensiva Tática Motorizada, foco de maior resistência dos militares à volta ao trabalho. O efetivo da unidade, formado por cerca de 300 policiais, vai ser redistribuído para todas as unidades da PM no Estado.

O alvo

Os integrantes da Rotam, unidade especializada da PM que atua em viaturas, predominam na lista inicial de 151 policiais militares que vão responder a procedimento disciplinar pela participação na revolta da corporação no Espírito Santo.

Insustentável

A coluna teve acesso, na terça, a três áudios atribuídos a policiais da Rotam. Neles, dois homens e uma mulher exortam os colegas a participarem, naquela noite, do protesto de PMs contra o governo na orla de Vila Velha. As gravações eram encerradas sempre com o mesmo bordão: “Sustenta!” “Sustenta!” “Sustenta!”

Criou, acabou

Por ironia do destino, a Rotam foi criada em 2009, no penúltimo ano do segundo mandato do então governador Paulo Hartung – o mesmo que vai acabar com a unidade.

Alerta no governo

O Palácio Anchieta entendeu como ameaça as palavras de ordem proferidas por militares e seus parentes na passeata de terça à noite em Vila Velha. Entre outras manifestações, eles gritaram “fora, Paulo Hartung!” e “governador, pode esperar, a sua hora vai chegar!”

Alerta no governo 2

Parece que não é apenas o governador que se sente ameaçado. “Não foram poucos os membros do Governo que sofreram ameaças nos últimos dias”, afirma o secretário de Segurança, André Garcia.

A GAZETA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *