Oscar Bessi: O Sol briga com a peneira no Espírito Santo

Por Oscar Bessi

Olha que descoberta fez o povo do Espírito Santo! A Polícia Militar é fundamental, indispensável e, sem PM nas ruas, é o caos. Mas isto foi mesmo uma descoberta? Ou sempre se soube e nunca se deu a mínima? De fato, há uma parcela da grande mídia que não gosta da PM, e permanece numa campanha incansável para, sempre que pode, desconstruí-la ou manchá-la, dando destaque apenas a fatos negativos e desprezando, solenemente, tudo o que acontece de correto e heroico todos os dias. Sim, todos os dias, nos quatro cantos deste país.

Como há gestores que só lembram que existe a PM quando precisam enviar soldados para calar a boca de professores ou estudantes ou trabalhadores que bradam contra suas falcatruas. Aí, enaltecem a PM. Em dias comuns, a desprezam, pisam sobre ela, a destratam.

Sim, é desrespeitar não querer qualificar o seu efetivo policial, não conceder pelo menos os reajustes necessários para que um profissional acompanhe essa inflação escancarada que vivemos. É desrespeitar ao máximo proibir a família desses trabalhadores, de ofício casado com o risco de vida, a terem a dignidade do pão em sua mesa.

É isso o que estão fazendo. E não só no Espírito Santo.

Interessante: o Brasil é famoso no mundo inteiro por seus criminosos e sua violência cotidiana há muito tempo. O que se faz para mudar isto? Nada. Ao contrário, se colabora, a cada safra de novos gestores públicos, para que a coisa fique cada vez pior. Pois as duas bases para mudar esta realidade – uma polícia forte, motivada, e uma educação qualificada – nunca são trabalhadas. Nunca. Só paliativos furados.

A PM não vai para as ruas e os crimes disparam, o controle sai, alguém diz que parece cenário de filme de terror. Quando a peneira se rebela e não quer mais brincar de tapar o Sol, porque só se queima e nada além, eis o terror. Bizarro ouvir os discursos e comentários sobre o assunto, sobre a realidade. Não conseguiram enxergar ainda que só há uma saída para este país?

As famílias dos PMs no Espírito Santo estão em luta por sua dignidade. Alguns comandantes têm demonstrado que honram a farda e têm vergonha na cara, apoiando o movimento. A imprensa mostra o caos, o povo saqueia o próprio povo sem se dar conta que atende ao assovio do fazendeiro que empurra a boiada no caminho do abate. O Ministro faz cara de brabo e diz que não vai tolerar mais nada, mas não fala em devolver a dignidade aos agentes de segurança pública. A Justiça decreta ilegalidade do movimento, quer multar entidades policiais, mas não se pronuncia, se omite formal e solenemente, sobre a indignidade por que passam os policiais. Desprezo atrás de desprezo. Mas, claro, o caos incomoda. Então eles chamam meninos de 18 anos no serviço obrigatório pra desfilar de fuzil pelas ruas como se fosse a solução do problema.

O medo maior, no fundo, é que era hora de pensar só em carnaval.

Eita país! Nem com suas vergonhas repetidas consegue aprender a lição!

CORREIO DO POVO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *