PA: Familiares de PMs realizam protesto em Belém; policiamento é normal

Cerca de 100 esposas e familiares de policiais foram às ruas de Belém protestar. (Foto: Arthur Sobral/G1)

Manifestação ocorre na manhã desta sexta no Palácio de Despachos.
Elas reivindicam melhorias salariais para PMs; governo diz manter diálogo.

Do G1 PA

Um grupo de cerca de 100 familiares de policiais militares do Pará realiza uma manifestação na manhã desta sexta-feira (10), em Belém. Eles reivindicam a equiparação do salário base do policial com o do salário mínimo vigente, além do reajuste salarial com base na inflação, que não acontece há dois anos. A Secretaria de Estado de Segurança Pública e (Segup) informou que a Polícia Militar prossegue regularmente com suas atividades nesta sexta-feira (10), em todo o Estado.

Em nota, o Governo do Estado informou ainda que mantém, através do Comando da Polícia Militar, da Secretaria de Segurança Pública e da Secretaria de Administração, diálogo aberto e permanente para intensificar a política de valorização do servidor público implementada desde 2011.

Os manifestantes se concentraram por volta das 7h em frente ao Bosque Rodrigues Alves, na avenida Almirante Barroso e saíram pouco depois das 8h em caminhada em direção ao Palácio de Despachos, na mesma avenida. Uma comissão de quatro pessoas foi recebida pelo Governo no local.

Eles também cobram o não atraso do pagamento do auxílio fardamento, o melhoramento do serviço de saúde, que está com apenas um local para atendimentos de urgência e emergência de pediatria, exames com demora de três meses para serem marcados e uma maior atenção para os policiais militares no interior.

Manifestantes caminharam até o Palácio dos Despachos e foram recebidos para dialogar.  (Foto: Arthur Sobral/G1)
Manifestantes caminharam até o Palácio dos Despachos e foram recebidos para dialogar com o Governo do Estado. (Foto: Arthur Sobral/G1)

“É uma manifestação pacífica. Estamos cobrando as questões de direito dos policiais como as questões salariais, os auxílios que estão sendo pagos em atraso e também a falta de assistência do Estado com os policiais do interior, que não estão recebendo o auxílio moradia e também pagam o Iasep e não têm onde serem atendidos pelo plano”, afirmou Aline Mendes Campos, esposa de policial militar e uma das organizadoras do movimento.

Aline também alerta para a demora do pagamento da pensão pós-morte às viúvas de PMs. “Eles estão demorando até dois anos para pagarem a pensão às viúvas. As que não trabalham e ficam desesperadas sem ter dinheiro para sustentarem a casa e os filhos”, disse ainda.

De acordo com o Governo, vários benefícios foram concedidos a policiais militares em mais de uma dezena de leis, leis complementares, decretos e regulamentações.

Um deles é o auxílio-fardamento, no qual, 63% dos 15.200 policiais militares do Pará receberão, nos contracheques deste mês, dois soldos em vez de um. O benefício será pago a 9.587 soldados e cabos da PM. O valor do auxílio, pago duas vezes por ano, é equivalente a um mês de soldo do militar e até o segundo semestre também vai beneficiar sargentos e subtenentes.

Sobre o policiamento, a Segup afirma que tanto a rotina administrativa quanto as operações já planejadas serão executadas normalmente. Apenas no município de Altamira, existem cerca de dez mulheres de policiais militares acampadas em frente do Comando da Polícia Militar daquela cidade. No entanto, as ações de policiamento estão desenvolvidas normalmente.

Deixe uma resposta