ABAMF e demais entidades brigadianas conquistam direito de debater propostas do governo que atingem categoria

Deputado Lara e o secretário Branco dialogam observados pelos representantes da ABAMF e da ABERGS

Um grupo de trabalho formado por um representante de cada entidade dos servidores de nível médio, um do Comando da BM e outro do governo irão trabalhar juntos, a partir de 5 de junho, para analisar e debater os projetos que estão na Assembleia Legislativa e atingem direitos dos brigadianos. Essa foi a conclusão na reunião que aconteceu, na tarde de 1 de junho, no Palácio Piratini, envolvendo o Secretário Chefe da Casa Civil, Fábio Branco, o secretário-adjunto, José Guilherme Kliemann, a ABAMF, a ASSTBM, ABERGS  e a AESSPPOM/RS, que representa as esposas de policiais militares.

A participação do deputado estadual Luis Augusto Lara foi importante. Ele argumentou que as associações militares reivindicavam mais tempo para trabalhar as propostas e estavam pressionadas pelo tempo com o pedido de urgência na votação, uma vez que as proposições devem ser votadas até 16 de junho.

Chefe da Casa Civil e secretário adjunto aceitaram dialogar sobre projetos com entidades brigadianas

Logo, o Chefe da Casa Civil aceitou a reivindicação. “Aceito a proposta, desde que com trabalho intenso para resolver as questões”, disse. Destacou que, se for necessário, o pedido de urgência poderá ser retirado, lembrando que nos próximos 15 dias outros temas tomarão a atenção dos deputados.

No dia 5 de junho começará um trabalho intenso sobre as propostas do governo

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF

 

Deixe uma resposta