Caxias do Sul: Prefeitura afirma que vai manter policiamento comunitário caso Estado não assuma programa

Plenário da Câmara ficou lotada de apoiadores do Policiamento Comunitário
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Secretário municipal quer garantias de que os policiais atuem nos núcleos em que foram designados

PIONEIRO

O programa de policiamento comunitário em Caxias do Sul vai continuar. É o que garante o Secretário Municipal de Segurança Pública, José Francisco Mallmann. A informação foi passada durante audiência pública que discutia o tema na noite desta quarta-feira, na Câmara de Vereadores da cidade.

possibilidade de encerramento do programa surgiu após a aprovação de uma nova lei que regula as parcerias entre a administração pública e organizações da sociedade civil e declarações da administração municipal que indicavam a vontade de redirecionar os recursos recebidos para a Guarda Municipal.

Na noite desta quarta, porém, Mallmann mudou de tom.

— Quero acabar com este policiamento comunitário (atual), e não aquele de 2013 que funcionava bem. De dois anos e meio para cá, não está funcionando. Se o Estado não assumir o policiamento comunitário, nós vamos continuar assumindo. Quem paga os impostos são os munícipes e temos que prestar um bom serviço — declarou.

Audiência foi convocada pelas comissões de Direitos Humanos e Apoio à Segurança Pública
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O secretário quer garantias caso o convênio seja mantido pelo Município. Entre as propostas que devem estar no novo contrato, ele cita a necessidade do adesivamento e instalação de GPSs nas viaturas que fazem parte do programa, além de comprovante de residência dos policiais participantes. As medidas são para comprovar a efetividade do programa junto aos bairros de origem.

— O recurso vem dos munícipes e iremos cobrar — ressalta Mallmann.

Prefeitura não vai mais repassar verba para combustível para a BM

A prefeitura de Caxias do Sul deixará de repassar verbas para complementação dos custos do combustível utilizado pelas viaturas da Brigada Militar. O secretário Municipal de Segurança afirmou ter se reunido com o governo do Estado e exposto a demanda.

— Ouvi que o Estado não tem problema de combustível. O governo do Estado ficou surpreso e respondeu que apenas Caxias auxilia com combustível. Com essa afirmação, o Município está sendo desonerado desta situação — aponta.

Agora, Mallmann deve se reunir com a BM para operacionalizar a interrupção do repasse. A ideia é que o recurso economizado seja redirecionado para investimentos na Guarda Municipal.

 

Deixe uma resposta