Quem são os ex-governadores e viúvas que recebem pensão de R$ 30 mil

Ex-governadora Yeda Crusius afirmou à Rádio Gaúcha que solicitou à Secretaria da Fazenda para não receber mais a pensão especial

ZERO HORA

Além da deputada federal Yeda Crusius (PSDB), outros sete ex-governadores recebem pensão especial pelo fato de terem estado à frente do Palácio Piratini. São eles: Tarso Genro (PT), Germano Rigotto (PMDB), Olívio Dutra (PT), Antonio Britto (eleito pelo PMDB), Alceu Collares (PDT), Pedro Simon (PMDB) e Jair Soares (PP). O valor por mês é de  R$ 30.471,11. Os dados se referem ao mês de agosto.

De acordo com dados do portal da Transparência, no mês de agosto, cada um deles recebeu R$ 32.427,37. O valor considera a pensão especial (R$ 30,4 mil) e soma também uma parcela do 13º salário de 2016, de R$ 1.960,60.

Somados, os benefícios dos oito ex-governadores chegam a R$ 243 mil num único mês – sem considerar o 13º.  No ano, esse valor atinge R$ 3,1 milhão.

À Rádio Gaúcha, nesta sexta-feira (22), Yeda Crusius disse que está ‘legitimada’ para participar da Comissão Especial  que tratará dos supersalários na Câmara. Em agosto, a parlamentar recebeu R$ 66 mil em vencimentos relativos à pensão de ex-governadora e ao salário como deputada, acima do teto constitucional de R$ 33,7 mil.  A ex-governadora informou que pediu à Secretaria da Fazenda para deixar de receber a pensão.

Viúvas

Além dos citados, quatro viúvas de ex-governadores também recebem benefícios pagos pelo Estado. Somente para as viúvas, o Estado desembolsa R$ 1,5 millhão por ano.

Entre as beneficiadas estão: Neda Mary Eulalia Ungaretti Triches; Nelize Trindade de Queiroz; Marilia Guilhermina Martins Pinheiro (também recebe pensão do Governo do Rio de Janeiro) e Mirian Gonçalves De Souza.

Neda Mary Eulalia Ungaretti Triches – viúva de Euclides Triches, morto em 1994

Nelize Trindade de Queiroz – viúva de Sinval Guazelli, morto em 2001)

Marilia Guilhermina Martins Pinheiro – viúva de Leonel Brizola, morto em 2004

Mirian Gonçalves De Souza – viúva de Amaral de Souza, morto em 2012)

1 Comentário

  1. Em caso de renúncia temporária da pensão de ex-governadores, os recursos ficam nos cofres do Estado. A ex-governadora pode voltar a receber a pensão quando desejar.

Deixe uma resposta