Moradores de Ipanema reformam posto policial, que volta a funcionar

Cristian Martins / Divulgação

O telhado foi consertado, o interior do prédio foi restaurado e a mobília, inteiramente substituída. Tudo fruto de doações da comunidade

ZERO HORA

Era o único posto policial do bairro Ipanema, mas estava fechado havia um ano porque seu telhado, tomado de buracos, já não impedia a entrada da chuva. Acuados pela insegurança e sem qualquer sinal de que o governo estadual fosse resolver o problema, os próprios moradores do bairro decidiram acelerar a reativação do posto, situado na Rua Déa Coufal, próximo à orla.

O primeiro passo foi comprar novas telhas de barro e forro de PVC para substituir o telhado estragado. Depois, foram contratados eletricista e serviços gerais para reformar o interior do prédio. Por fim, uma mobília inteira foi doada ao posto: geladeira, fogão, pia, mesa, cadeira, armário de cozinha, roupeiro, sofá, cama, chuveiro, micro-ondas, entre outros utensílios (muitos móveis eram usados). Estima-se que o custo tenha sido superior a R$ 6 mil.

– É comum, em outras comunidades, as pessoas ajudarem a reformar uma viatura ou uma bicicleta da Brigada. Mas um esforço tão grande para reerguer um posto e melhorar as condições dos policiais que atuam nele é a primeira vez que vejo – elogia o responsável pelo posto, sargento César Rodrigues, com 27 anos de Brigada Militar.

A reforma ainda não está pronta – falta finalizar o telhado, trocar o piso e pintar por dentro –, mas o posto já está funcionando 24 horas, com revezamento de dez policiais. Dois deles, vindos do Interior, estão alojados no local.

– Ficamos orgulhosos com a mobilização. A comunidade se aproximou da Brigada e o policiamento melhorou muito – diz a vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro Ipanema, Beatrice Rocha. – A gente sabe que a reforma seria responsabilidade do poder público, mas não iria acontecer. O Estado é precário. É a união do povo que faz as coisas acontecerem.

 

Deixe uma resposta