Rádio Guaíba: Estado deposita salários de até R$ 1,2 mil nesta quinta

A Fazenda não divulgou a data de pagamento das próximas parcelas

Em outubro, Fazenda conseguiu pagar em dia faixa maior de servidores 

O Palácio Piratini paga a folha do mês de novembro a partir desta quinta-feira, quitando os salários para os servidores com rendimento líquido de até R$ 1,2 mil. O valor contempla integralmente um total de 61 mil matriculas do Poder Executivo, quitando os vencimentos para 18% do funcionalismo. Para atender a esse universo de funcionários, a Secretaria da Fazenda dispôs em caixa de R$ 59,7 milhões.

O pagamento aos demais servidores é previsto para ocorrer até o dia 13 de dezembro, de acordo com o ingresso de receita. A parte líquida da folha de novembro ficou em R$ 1,1 bilhão (sem considerar as consignações – empréstimos bancários).

Essa é 24ª folha que a gestão de Sartori não consegue pagar em dia. Foram 21 parcelamentos e três meses de atraso para quem recebe salários maiores. Em outubro, o Piratini havia depositado R$ 2 mil líquidos na primeira faixa de pagamento.

Ao longo de novembro, a arrecadação líquida ficou em R$ 2,441 bilhões, enquanto as despesas chegaram a R$ 3,581 bilhões (incluindo o valor de R$ 995 milhões da folha de outubro). Receitas extraordinárias previstas para este mês, como a antecipação dos créditos do Fomentar RS, acabaram não se confirmando, o que elevou a insuficiência financeira para R$ 1,140 bilhão no período.

13º salário

Também nesta quinta vai ser creditada a última parcela (12ª etapa) do 13º salário de 2016 para todos os servidores (independente do vencimento líquido), o que representa o desencaixe de outros R$ 102 milhões.

Já os funcionários vinculados às fundações receberão nesta quinta a metade do 13º salário de 2017, o que representa cerca de R$ 12 milhões. São cerca de 5,2 mil contratos regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). O salário do mês para os celetistas representa R$ 25 milhões e está confirmado para a próxima segunda-feira (4, segundo dia útil).

Para os servidores do Executivo, ainda não há definição sobre o 13º de 2017. Por enquanto, a Fazenda condiciona os recursos à venda de ações do Banrisul e à adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, do governo federal.

Fonte:Lucas Rivas/Rádio Guaíba

2 Comentários

  1. antonio carlos oliveira arruda

    babacas estao arrebentando com os trabalhadores digo o executivo ai vem falar que em dezembro vai pagar os juros dos atrazos , isso e 0,5 por cento enquanto pagamos 12 por cento ao banrisul .

  2. Josebatistadamotapaschoal

    Até quando esse governo vai pagar os salarios do funcionalismo estadual parcelados ,o ano que vem ,promessa .

Deixe uma resposta