Criminosos usam reféns em cordão humano e explodem banco em Encruzilhada do Sul

Agência da Caixa Econômica Federal ficou destruída após ataque
Brigada Militar / Divulgação

Ninguém ficou ferido na ação e polícia segue buscas na região

ZERO HORA

A agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de Encruzilhada do Sul foi alvo para ação de assaltantes na madrugada deste sábado (09), no Vale do Rio Pardo.

Os criminosos fizeram disparos para o alto e tomaram reféns para formar um cordão humano junto à agência. Pelo menos, dois terminais teriam sido abertos com explosivos. Policiais federais estão no local fazendo levantamentos preliminares e perícia. O caso é de competência da PF por se tratar de instituição bancária federal.

O grupo usava uma caminhonete ainda não identificada. A Brigada Militar analisou  imagens de câmeras de segurança da cidade e acredita que eram entre quatro e cinco assaltantes. O grupo chegou a levar dois reféns durante a fuga, que foram libertados sem ferimentos na saída da cidade, na RS-471.

Na quinta-feira, um ataque a bancos em Arvorezinha resultou na morte de um dos reféns que havia sido usado também em cordão humano. Ele foi baleado durante confronto entre os criminosos e policiais.

O delegado Joel Wagner, da Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), acredita que não há ligação entre os dois casos:

_ Acho pouco provável pelas circunstâncias, já que este roubo foi com uso de explosivos e durante a noite, e também porque se suspeita de que alguns dos integrantes do bando que agiu em Arvorezinha ainda estejam escondidos na mata.

O ataque em Encruzilhada do Sul começou por volta da 0h45min. A agência fica na Rua Bento Gonçalves, centro de Encruzilhada. Os criminosos renderam pessoas que estavam nas proximidades e as obrigaram a formar um cordão humano para proteger a ação do bando. Dois caixas eletrônicos teriam sido explodidos.

O grupo fez diversos disparos para o alto. A ação durou cerca de 15 minutos, segundo o capitão Silvio Silva. Na manhã de sábado, além da perícia que está sendo realizada, a BM segue fazendo buscas em localidades do interior, prováveis rotas de fuga, conforme a sargento Elaine Pereira Mendes, que comanda o pelotão da BM de Encruzilhada do Sul.

Neste ano, a cidade passou por outro caso de ataque a banco. Um grupo de assaltantes explodiu três agências em 17 de junho. Na data, o Banco do Brasil, Banrisul e Sicredi foram acessados com explosivos e, da mesma forma, pessoas foram feitas de reféns durante a ação criminosa.

O assalto está sendo investigado pela Polícia Federal.

Deixe uma resposta