RJ: ‘Vivemos tempos difíceis’, diz comandante da PM durante formatura de 151 novos soldados

PM formou 151 novos soldados Foto: Carolina Heringer

Depois de mais de um ano sem que novos policiais concluíssem o curso preparatório da PM, 151 soldados se formaram nesta sexta-feira, durante cerimônia no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) da corporação, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. Todos eles foram eliminados em alguma fase do concurso, mas conseguiram uma decisão judicial para que pudessem concluir o curso. Oito deles, no entanto, ainda não poderão ser nomeados e tomar posse, pois a determinação da Justiça foi apenas para finalizarem a formação. Eles terão que aguardar nova decisão.

Do total, 149 policiais são do concurso do ano passado, um é de 2015 e outro, de 2014. O curso de formação durou um ano teve início no fim de 2016. Essa foi a primeira turma com a nova grade curricular da PM, instituída no ano passado.

– Incluímos Direitos Humanos em todas as disciplinas. Além disso, eles também passaram a estudar Economia financeira – explicou a coronel Andreia dos Santos Ramos, comandante do CFAP, ao falar sobre sobre as mudanças.

A partir da próxima segunda-feira, os novos soldados formados já estarão patrulhando as ruas do Rio. De acordo com o comandante-geral da PM, coronel Wolney Dias, inicialmente eles serão utilizados para as operações de fim de ano e só depois serão lotados definitivamente em batalhões.

– Vivemos tempos difíceis. Em cada dia vencemos uma prova de fogo. Estamos trabalhando para superar obstáculos impostos por uma crise sem precedentes no nosso estado do Rio de Janeiro. Temos implementado ações administrativas e políticas para superar este cenário de dificuldades – afirmou o coronel Wolney, durante seu discurso na cerimônia.

Durante sua fala, o oficial relatou que a corporação teve uma perda de 5% de seu efetivo nos últimos anos e afirmou que a PM é muito cobrada pela população.

– A sociedade é vigilante. Ela cobra, critica. E muitas vezes age de maneira injusta. É de se questionsar como não apoiar aqueles que defendem a propris vida. É a pergunta que eu me faço. Por isso, nossa estrutura correcional é rígida. Somos muito cobrados.

A entrada dos policiais durante a formatura
A entrada dos policiais durante a formatura Foto: Carolina Heringer

Orgulho e preocupação

A crise financeira que tem atrasado os salários dos policiais e comprometido a estrutura de trabalho dos militares, além da crescente violência no Rio, não preocupam os soldados que se formaram nesta sexta.

– Ninguém aqui está pensando nesses fatores. Entrar na polícia é um sonho para quem está aqui. Lutamos para podermos concluir o curso. Queremos ir para as ruas e proteger a sociedade – afirmou um dos policiais, que preferiu não se identificar.

Outro militar afirmou que a preocupação da família é grande, mas ainda assim, nunca pensou em desistir da carreira:

– É normal o medo com essa violência, mas não podemos recuar diante disso tudo que está acontecendo. Temos justamente que tentar mudar essa realidade – disse.

O comandante da PM observa os policiais que se formaram nesta sexta
O comandante da PM observa os policiais que se formaram nesta sexta Foto: Carolina Heringer

A esposa de um dos policiais formados dividia-se entre o orgulho pela conquista do marido e a preocupação. A mulher, que prefere o anonimato, acompanhou a formatura:

– Era o sonho dele. Sinto um orgulho imenso pelo quanto ele batalhou, mas ao mesmo tempo, virei uma esposa neurótica. Fico monitorando o deslocamento dele, morrendo de preocupação. Mas admiro a decisão dele. Não é por dinheiro e nem estabilidade que ele quer essa carreira. É um sonho mesmo.

A mãe de outro soldado que se formou também relatou muita preocupação com a segurança do filho e afirmou que tentou convencê-lo a desistir da carreira na PM, mas seus pedidos não foram atendidos:

– Eu só peço todos os dias proteção ao meu filho. Tentei que ele mudasse de ideia, mas ele diz que ser policial está escrito no caminho dele e eu respeito.

No concurso da PM do ano passado, mais de 6 mil policiais foram aprovados. Ainda há mais de 4 mil PMs para serem convocados.

Policiais comemoram ao fim da cerimônia
Policiais comemoram ao fim da cerimônia Foto: Carolina Heringer

Deixe uma resposta