35 guaritas estão sem guarda-vidas no Litoral Norte

Número representa 15,35% do total de guaritas. Contratação de 156 guarda-vidas civis pelo governo do Estado atrasou, explica o comando da Operação Golfinho

Guarita 112, em Santa Terezinha – Imbé, também está sem guarda-vidas
Everton Chrisostomo / Agência RBS

ZERO HORA

Sem morrinho, nem bandeira. Na guarita 98, em Noiva do Mar, praia de Xangri-lá, não tem guarda-vidas trabalhando. Quem aproveita a orla para se exercitar conta que é comum encontrar guaritas vazias, sem profissionais a postos.

Nilza Maria da Silva, professora aposentada, veio com a família curtir à beira-mar, mas nesta sexta-feira (12) vai ficar longe da água. Eles veraneiam todos os anos no balneário e não gostaram de encontrar o posto de salvamento desativado:

— Nós temos casa há 14 anos aqui, é o primeiro veraneio que não tem guarda-vidas. Estamos desde o dia 21 de dezembro na praia e a guarita está vazia.

São 35 das 228 guaritas do Litoral Norte – o que representa 15,35% – que estão nessa situação desde o início da Operação Golfinho, há quase um mês. Em Mariluz, praia de Imbé, a guarita 124 está sem guarda-vidas desde o começo da ação. Ruim para os banhistas e para quem tem comércio na beira-mar. Marcelo Weber, dono de um quiosque, viu os clientes debandarem para as guaritas mais próximas, que estão funcionando.

— Eu acho um descaso do poder público. Qual é a diferença das outras guaritas que têm salvamento e a daqui que não tem? Qual a diferença do pessoal de lá pro pessoal daqui? Tem que ser pra todos.

Profissionais civis devem começar no fim do mês

O comando da Operação Golfinho reconhece que seriam necessários pelo menos 80 guarda-vidas para ativar todas as guaritas. Segundo o major Jefferson Ecco, coordenador do 9º Batalhão do Corpo de Bombeiros, responsável pelo Litoral Norte, a contratação dos 156 guarda-vidas civis pelo governo do Estado atrasou. A solução foi desativar as guaritas com menor número de salvamentos nos últimos anos.

— Os civis são contratados para suprir essa falta de gente para todos os postos, o que ficou em aberto no começo da temporada. Esperamos usar o pessoal do treinamento já aos finais de semana.

Mesmo com efetivo menor, os bombeiros comemoram a redução de 60% nos salvamentos em relação à temporada passada. Os novos guarda-vidas civis devem começar a trabalhar no fim de janeiro. Até lá, a recomendação para os veranistas é ter cuidado redobrado no mar e dar preferência para as áreas próximas às guaritas em funcionamento.

Deixe uma resposta