Vereador sugere cartões de isenção para PMs nos ônibus da Capital

189

8cdb17949e3e6d92ec24efb9fda6243913f39591Texto aprovado na Câmara pode contemplar sargentos, tenentes, bombeiros e área administrativa

Em meio à polêmica de como será praticada a isenção da passagem de ônibus para policiais militares à paisana, o autor da proposta, Cassio Trogildo (PTB), sugeriu a confecção de cartões de isentos. O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, prometeu sancionar com ressalvas o texto aprovado, avaliando que a proposta inicial precisa limitar quais membros da Brigada Militar poderão usufruir da vantagem.

O projeto ainda é examinado pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) antes de chegar às mãos do prefeito. Com a inclusão de duas emendas, o texto contempla com o benefício também os policiais das aérea administrava da corporação e de nível médio – os sargentos e tenentes. Além disso, que bombeiros continuem sendo beneficiados, mesmo que haja desmembramento da corporação. Com isso, entre PMs e bombeiros cerca de 2,8 mil policiais podem ser contemplados, além de 500 integrantes da Guarda Municipal.

Atualmente, a legislação só garante passe livre a soldados e guardas municipais, desde que andem de farda. Termina em 8 de janeiro o prazo para que o Município se posicione. Por enquanto, o prefeito Fortunati sugeriu que vai sancionar a matéria parcialmente, para que seja limitada a agentes do policiamento ostensivo e preventivo, por meio de identificação, mas excluindo do benefício quem não trabalha na rua. Quanto a esse posicionamento, Trogildo preferiu não polemizar.

O projeto surgiu depois da morte do soldado Márcio Ricardo Ribeiro, de 42 anos, assassinado durante um assalto a ônibus na zona Sul de Porto Alegre. De cada três usuários do transporte coletivo da Capital um não paga a tarifa, segundo a ATP.

CORREIO DO POVO