Vereadora critica deputada contrária à utilização de armas letais por PMs em protestos

245
IMAGEM GOOGLE
IMAGEM GOOGLE

Manuela D’Ávila criticou o uso de armas letais e Mônica Leal concorda com o método dos brigadianos

A vereadora Mônica Leal (PP) criticou a ação da deputada estadual comunista, Manuela D´Avila, que em ofício a Brigada Militar quer saber qual o procedimento padrão usado no acompanhamento de manifestações sociais. Manuela manifestou preocupação com o uso de armas letais portadas por brigadianos, no protesto da semana passada, contra o aumento na passagem de ônibus na Capital.
A progressista entende que a corporação tem comando e alerta que os perigos podem estar nos manifestantes. “Em qualquer lugar do mundo quem promove quebra-quebra é baderneiro e aqui não deveria ser diferente. Temos que caracterizar o crime e a polícia deve combater o desvirtuamento destas manifestações”, defendeu.
A vereadora afirma que armas letais são usadas por manifestantes que chegam a esconder o rosto “como se fossem bandidos”. Mônica Leal recordou um caso de morte. “Recentemente, com o uso de rojão, registramos a morte do cinegrafista Santiago. Aqui no Estado temos brigadianos debilitados após serem atingidos por pedras e já houve, no passado, até casos de morte de policiais decapitados por integrantes de movimentos sociais”, salientou. Mônica Leal chegou a ser trancada no interior da Câmara de Vereadores da Capital por manifestantes que invadiram o local, no ano passado.
Fonte:Voltaire Porto / Rádio Guaíba

BM mantém armamento letal para realizar acompanhado de protesto contra aumento das passagens na Capital

Manifestação promovida pelo Bloco de Lutas ocorre nesta quinta-feira

A Brigada Militar confirmou que vai usar armas letais e não letais durante o protesto marcado para esta tarde contra o possível aumento das passagens de ônibus em Porto Alegre. O ato, organizado pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público, conta com quase duas mil confirmações via redes sociais. A concentração já começou em frente ao Paço Municipal, no Centro da Capital.
Em entrevista ao Jornal da Guaíba, o comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Mário Ikeda, afirmou que as armas letais serão usadas somente em casos extremos para garantir a segurança de PMs e manifestantes. “Nós temos armas letais e não letais. A arma letal nós sempre portamos como é de praxe, inclusive na manifestação para garantir a segurança do próprio policial e também para fazermos a defesa de todo o cidadão”, justificou.
O comandante ainda assegurou que falhas com armamentos letais não devem ocorrer em meio aos protestos em função do atual preparo dos PMs. Contudo, Ikeda salientou que atos de violência e depredações não serão toleradas pela corporação. O total de brigadianos empregados para o protesto não foi revelado.
Sobre o oficio que a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB) anunciou que iria encaminhar à Brigada Militara questionando o uso de armas letais em manifestações sociais, o comandante disse ter tomado conhecimento hoje por meio da reportagem.
Fonte:Lucas Rivas/Rádio Guaíba