Efetivo reduzido leva BM a protelar reintegração de posse em fazenda ocupada pelo MST em Tapes

189
Integrantes do MST foram notificados nesta manhã | Foto: André Ávila
Integrantes do MST foram notificados nesta manhã | Foto: André Ávila

Jogos da dupla Gre-Nal também impedem deslocamento de militares durante o fim de semana

A Brigada Militar comunicou os integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) de que o prazo dado pela Justiça para que deixem a propriedade ocupada expirou depois das 18h, em Tapes, no Centro Sul gaúcho. A partir de agora, a corporação pode cumprir a liminar com uso da força policial. Desde quinta-feira, cerca de 1,8 mil famílias ocuparam uma área de mais de sete mil hectares no interior do município.

Porém, devido ao efetivo reduzido, a reintegração de posse só deve ser cumprida na próxima semana. Parte do efetivo da Capital deve ser deslocado para Tapes. A realização de dois jogos da dupla Gre-Nal, entre sábado e domingo em Porto Alegre, também motiva o adiamento do cumprimento da determinação judicial, conforme o Comando-Geral da BM. A Justiça determinou a reintegração de posse nessa quinta-feira.

As famílias vieram de 14 acampamentos do MST no Estado e pretendem permanecer no local até que sejam realocadas para outros assentamentos ou que o terreno seja desapropriado. Pela manhã, o MST já havia sido notificado da decisão.

Em comunicado, a coordenação estadual do MST informou que a invasão está ligada à Jornada de Luta pela Reforma Agrária do MST.

Saiba mais

O pedido de reintegração de posse foi protocolado em nome da empresa Pinvest – Pinheirais Gaúchos de Investimentos. A BM informou que disparos foram dados durante a ocupação, porém o MST rechaçou essa versão. Famílias de 14 acampamentos do MST no Estado pretendem permanecer no local até que sejam realocadas para outros assentamentos ou que o local seja desapropriado. O movimento sustenta que os proprietários da Fazenda Guerra, de mais de 7 mil hectares, cometem crime ambiental por plantar eucalipto e pinus às margens da Lagoa dos Patos.

Com informações da repórter Mauren Xavier, do Correio do Povo

Fonte:Lucas Rivas/Rádio Guaíba