Assembleia é pressionada sobre congelamento de gastos para 2016

210

Nos próximos dias, entidades de classe prometem procurar a Assembleia para reivindicar mudanças no orçamento

Foto: Luiz Avila  / Divulgação
Foto: Luiz Avila / Divulgação

O presidente da Assembleia Legislativa, Edson Brum (PMDB), recebeu nesta terça-feira (9) pedidos de emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que será votada em julho na Casa. É o início das negociações, que envolvem membros do Tribunal de Justiça (TJ-RS), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Ministério Público (MP-RS) e Defensoria Pública (DPE-RS).

Durante o encontro, os representantes das instituições afirmaram que o congelamento de gastos previsto na LDO poderá inviabilizar as atividades. “A Defensoria, por exemplo, tem um orçamento muito curto, anualmente os contratos com prestadores de serviço e locação têm reajustes da inflação, por isso preocupa a instituição”, argumenta o defensor público-geral do Estado, Nilton Leonel Maria.

Além de reivindicarem reajustes na verba para custeio, as instituições também tentam garantir aumento nos salários dos servidores, no mínimo a reposição da inflação. Nos próximos dias, entidades de classe prometem procurar a Assembleia para reivindicar mudanças na LDO.

GAÚCHA