Sentinela do Sul sem nenhum soldado

189
IMAGEM ILUSTRATIVA
IMAGEM ILUSTRATIVA

Wanderley Soares

Por ordem do Comando da Brigada Militar da Região Sul do Estado, sexta-feira última, foi fechado o posto policial da cidade de Sentinela do Sul, que estava sob o comando o 1 sargento Luis Veríssimo da Rosa. A decisão é decorrente dos atuais cortes orçamentários implementados pelo governo do Estado somados à queda de efetivo, baixos salários, estrutura administrativa reduzida, além das aposentadorias. Os seis policiais militares que estavam lotados naquele posto foram remanejados para o Pelotão de Tapes, que também está com baixo número de efetivo em operação. O número 190 não está funcionando em Sentinela do Sul e os cidadãos de lá, mais do que nunca, têm de recorrer a Tapes, que fica a 28 quilômetros de distância.

O que está ocorrendo em Sentinela, que, agora, conta com a inteligência da pasta da Segurança Pública, mas sem um único policial nas ruas, é um exemplo do que está a acontecer com a estrutura da segurança pública no RS. Reuniões serão feitas em busca de paliativos para aquele município, exatamente o que acontece em relação a todo o Estado. Paliativos com cobertor curto e discursos com a promessa de reduzir a criminalidade, antes do final da próxima primavera, em quatro por cento.

O SUL