Reforço de policiais agora só de forma esporádica em Novo Hamburgo

197
Foto: Inézio Machado/ GES Brigada patrulhou a cidade usando o único helicóptero da corporação no Estado
Foto: Inézio Machado/ GES
Brigada patrulhou a cidade usando o único helicóptero da corporação no Estado

Apoio de policiais militares de outras cidades surgiu após onda de violência entre o fim de setembro e o início de outubro

Em atuação desde o início do mês, o policiamento em Novo Hamburgo segue com barreiras diárias em vários locais, porém sem o reforço de unidades de outros municípios. O auxílio agora é somente de forma esporádica. Entretanto, o comandante do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM), major Marcel Nery, garante que o efetivo local tem mantido a ação. “Nada foi deixado de lado. Temos barreiras em todos os turnos e horários em diversos pontos da cidade”, afirma.
O major salienta que nesta semana o município receberá uma operação reforçada, além daquelas já programadas. Com isso, até mesmo o helicóptero, que foi usado no primeiro fim de semana da ação, deve retornar à cidade. “Devemos usá-lo em situações pontuais, até porque, atualmente, está priorizando as ações da Defesa Civil, em função dos alagamentos em todo o Estado.”
O reforço na atuação dos policiais militares surgiu em função de uma forte onda de violência que assolou a população entre o fim de setembro e o início de outubro. No período foram registrados nove assassinatos, um sequestro, um assalto a banco e dois baleados. “Percebemos que aquele clima de terror que houve na cidade hoje já não existe mais”, ressalta Nery.
Elucidação dos crimes
O titular da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo, delegado Enizaldo Plentz, destaca que os assassinatos cometidos no período mais crítico deste ano e que estavam sob sua atribuição foram todos esclarecidos. Suspeitos puderam ser identificados graças à investigação e, com isso, presos. “Foi um momento de violência intensa na cidade, mas os crimes não se relacionavam. Foram fatos isolados que aconteceram juntos. Mas em tempo a policia deu uma resposta e voltamos a níveis razoáveis. Agora não temos mais aquele pânico que tivemos momentaneamente”, ressalta.
Estatística
Desde 3 de outubro até o início da tarde desta segunda-feira, o policiamento reforçado em Novo Hamburgo soma os dados abaixo:
Barreiras policiais: 38
Pessoas abordadas: 2.285
Veículos fiscalizados: 1.353
Veículos autuados: 48
Veículos recolhidos: 30
Veículos recuperados: 1
Menores apreendidos: 3
Foragidos capturados: 1
Prisões realizadas: 15
Presas por tráfico de drogas: 3
Arma branca apreendida: 1
Armas de fogo apreendidas: 2
Maconha apreendida: 34g
Cocaína apreendida: 1,76kg
Crack apreendido: 35g
Munições apreendidas: 5
Bares fiscalizados: 5
Fonte: Brigada Militar
Entenda o caso
Em 25 de setembro, o técnico em Química Alesander da Silva, 34 anos, foi morto a tiros no bairro Canudos.
No dia 26, Marcos Nunes Mota, 32, foi assassinado no bairro Canudos.
Na noite do dia 27, uma mulher e seu filho foram baleados ao chegar em casa, no bairro Ouro Branco.
No bairro Santo Afonso, Vanderson Vidal Mathias, 29, foi morto a tiros no dia 28.
No dia 29, José Maciel Vargas, 50, morreu ao ser alvejado por dez tiros. No mesmo dia, dois homens foram mortos enquanto plantavam grama no bairro Canudos.
No dia 30, uma agência bancária no Centro foi assaltada. A quadrilha levou o dinheiro dos caixas eletrônicos e do cofre.
No dia 1º de outubro, o jovem Guilherme Ferreira, 22, foi assassinado no bairro Jardim Mauá. No bairro Canudos, Almiro Franciso de Souza, 51, foi morto a tiros.
No dia 2, um homem e seu filho foram sequestrados no bairro Primavera e libertados em Esteio.
No dia 3, um homem morreu ao levar dois tiros no bairro Canudos.
JORNAL NH