Brigada Militar apresenta modelo de policiamento a perito japonês

134
IMAGEM ILUSTRATIVA
IMAGEM ILUSTRATIVA

A Brigada Militar promove o Seminário Anual de Polícia Ostensiva nesta terça-feira (17), no hotel Everest, em Porto Alegre. O tema deste ano será “Experiências de Policiamento Comunitário no Brasil e Japão”. A iniciativa faz parte do Acordo de Cooperação Técnico Internacional firmado entre os dois países, que traz à Porto Alegre o perito da policia japonesa Toshiki Yogo. O acordo de cooperação quer estabelecer um sistema continuo e autossuficiente de multiplicação da filosofia de Polícia Comunitária pelas instituições brasileiras, denominado Koban no Japão.

O trabalho desenvolvido no Rio Grande do Sul pelos Núcleos de Policiamento Comunitário é considerado exemplar. Hoje, o Estado conta com 23 Núcleos distribuídos em várias regiões. O modelo, que tem como propósito a aproximação da comunidade, faz com que os policiais realizem o patrulhamento e atendam às demandas dentro de uma rotina programada.

A programação do evento, dividida em três painéis, contará com a presença de palestrantes de Brasília, Minas Gerais e Goiás. Os estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul são considerados modelos de Polícia Comunitária. O seminário tem como público-alvo os policiais militares que atuam e coordenam nos Programas de Núcleos Polícia Comunitária e Patrulhas Escolares.

O sistema Koban é uma doutrina de policiamento comunitário aplicada nas províncias japonesas, também aplicado em vários estados brasileiros. O modelo é novo, mas experiências de polícia de proximidade, já acontecem no Brasil há mais tempo. A vinda do grupo ao Rio Grande do Sul serve para ampliar o conhecimento sobre este método e orientar sobre o trabalho de policiamento comunitário. Outra finalidade da visita é promover a integração e o intercâmbio entre os dois países, no que se refere às atividades de policiamento comunitário.

O modelo existe há 140 anos no Japão, e lá a polícia conseguiu reduzir os homicídios para apenas 20 casos em um ano numa das províncias. Os “Kobans” são postos de polícia com pouco efetivo e construídos em meio aos bairros das províncias japonesas. Com arquitetura semelhante a de uma residência, as unidades substituem a imagem das delegacias e aproximam os moradores. Outra característica do sistema japonês é a participação de voluntários da comunidade que ajudam no trabalho da polícia e os estabelecimentos comerciais também são parceiros no trabalho da segurança pública.

Programação

Segunda-feira (16) –
13h30 Recepção da Comitiva pelo Comandante Geral da Brigada Militar no Quartel do Comando Geral, em Porto Alegre;

16h30 Visita do Perito Japonês de Curto Prazo Toshiki Yogo ao 3º BPM, em Novo Hamburgo;

Terça-feira (17) –
8h30 às 17h30 Seminário Anual de Polícia Ostensiva: Experiências de Policiamento Comunitário No Brasil e Japão;

10h50 Palestra do Perito Japonês de Curto Prazo Toshiki Yogo no Seminário Anual de Polícia Ostensiva: Experiências de Policiamento Comunitário No Brasil e Japão;

Quarta-feira (18) –
9h30 Visita do Perito Japonês de Curto Prazo Toshiki Yogo ao 12º BPM, em Caxias do Sul;

Mais informações e agendamentos de entrevista ou cobertura do evento podem ser direcionadas ao Adjunto de Polícia Comunitária da Brigada Militar, major André Ribeiro no telefone (51) 3288-2902 / (51) 9661-5401.

Texto: Ana Paola Dala Barba/Ascom BM

SSP-RS