Quantas pessoas a polícia ‘matou’ em 2014?

117

08-11-2015.215648_MAPAO Anuário Brasileiro de Segurança Pública, na sua versão 2015, traz, como sempre, dados interessantes acerca das causas e consequências da violência no Brasil. E um deles é o número de pessoas mortas pelas polícias no ano de 2014.

De acordo com o levantamento, no ano passado a força policial do país ‘matou’ 3.009 brasileiros (ou estrangeiros), o que significa um aumento de 37,2% em relação à mesma estatística do ano 2013. “É injustificável”, diz um dos autores que escrevem para o Anuário.

Façamos, nós, o nosso julgo. Até concordamos que essa guerra seja um “absurdo”. Mas convenhamos: pelo menos uma parcela dessa mortalidade se ampara em circunstâncias justificáveis, sim (não nos pergunte o tamanho dessa fatia, porque nem o Paraíba em QAP nem o Anuário têm a resposta).

O documento que alimenta teses acadêmicas no país inteiro não especifica, por exemplo, quantas dessas 3.009 pessoas apontavam uma arma para os policiais, antes de serem mortas. Estavam todas armadas? Não. Absolutamente. Mas quanto faziam uso de armamento?… O Anuário não diz.

É por isso que achamos descabido publicar que se tratam de 3.009 “vítimas”, conforme o quadro da imagem acima, retirada do Anuário. Quem aponta armas para policiais não é ‘vítima’. Quem atira na polícia, muito menos.

Para que tornemos as nossas polícias melhores é necessário que, antes, conheçamos o tamanho real dos seus problemas.

Paraíba em QAP