Segurança é desaprovada por 81,5% dos gaúchos

124

17730821Pesquisa revela os principais problemas do Estado e aponta rejeição de 60,6% ao governo Sartori

O Instituto Paraná Pesquisas e o Correio do Povo apresentam nesta sexta-feira a segunda de uma série de cinco consultas realizadas no Estado com o objetivo de avaliar a opinião pública sobre as administrações federal e estadual, a situação eleitoral nos municípios de Porto Alegre, Canoas e Santa Maria e, ainda, sobre demandas sociais no Rio Grande do Sul. A segunda pesquisa avaliou o desempenho da administração estadual.

A poucos dias de completar um ano no governo do Estado, José Ivo Sartori (PMDB) tem um índice de 60,6% de rejeição à sua administração, contra uma aprovação de 35,9%. Segundo os dados, 3,5% não sabem/não opinaram sobre o tema. A pesquisa procurou detectar também, na opinião dos consultados, qual o maior problema do Rio Grande do Sul. Segundo os dados, a segurança pública é o principal problema do Estado para 25,1%, seguido da área da Saúde, com 24,3%, e da má administração pública (13,8%).

Além disso, a pesquisa procurou saber também qual a opinião dos consultados sobre a atuação do governo nas áreas de educação, social/apoio aos carentes, economia/equilíbrio das contas públicas, saúde pública e segurança pública. Segundo os dados, a área da educação tem desaprovação de 66,7%, contra 28,2% que aprovam e 5,2% que não sabem ou não responderam.

Sobre a área social e apoio aos carentes, 64,5% dos eleitores consultados disseram que desaprovam, outros 27,3% aprovam e 8,2% não sabem/não opinaram. Sobre economia e equilíbrio das contas públicas, 69,4% disseram desaprovar, contra 26,4% aprovam. Outros 4,3% afirmaram não saber ou não opinaram. No quesito saúde pública, a desaprovação chegou a 77,4%. Outros 20,9% declararam aprovar e 1,6% afirmaram não saber ou não opinaram.
Sobre a segurança pública, 81,5% desaprovam a administração do governador Sartori, 17,3% aprovam e 1,2% diz não saber ou preferiu não opinar.

O levantamento procurou conhecer também a opinião dos entrevistados sobre a venda de estatais de Estado. Perguntados sobre a concordância com a venda ou privatização de empresas de grande porte pertencentes ao Estado, desde que autorizado pela Assembleia, 61,9% disseram discordar, 34,1% concordam e 4,0% não souberam responder ou não opinaram. Diante da pergunta sobre quais empresas de grande porte acredita que poderiam ser vendidas/privatizadas, 47,7% dos consultados responderam que nenhuma estatal pode ser vendida; 24,2% disseram não saber; 13,3% citaram o Banrisul, 11,1% referiram a CEEE; 9,8% lembraram a Corsan e 3,3% citaram outras empresas.

Foram ouvidos 1.506 eleitores, em 78 municípios, estratificados segundo sexo, faixa etária, grau de escolaridade e posição geográfica. O levantamento foi realizado entre os dias 4 a 7 de dezembro. A amostra representativa no Estado tem um grau de confiança de 95,0% para margem estimada de erro de aproximadamente 2,5% para os resultados gerais.

Leia na próxima segunda-feira pesquisa sobre o cenário das eleições em Porto Alegre.

Fonte:Correio do Povo