Piratini adia renovação do decreto que congela gastos

133
Fernando Gomes/Agencia RBS – Congelamento de gastos foi um dos motivos de protestos de servidores do Estado no ano passado
Fernando Gomes/Agencia RBS – Congelamento de gastos foi um dos motivos de protestos de servidores do Estado no ano passado

O Palácio Piratini adiou a assinatura por mais 180 dias do decreto de contingenciamento de despesas. A previsão inicial é de que a medida seria renovada na manhã desta quarta-feira (13), o que não ocorreu. A assessoria do governo ainda não deu explicações sobre a mudança se o governador José Ivo Sartori irá se manifestar. Ele sairá em férias na sexta-feira (15).

O congelamento de gastos foi adotado no início do ano passado. Ainda está sendo discutido se a convocação de novos servidores permanecerá suspensa. A tendência, no entanto, é de que as regras sejam mantidas.

Segundo dados do governo, foi possível economizar aproximadamente R$ 1 bilhão no ano passado com o decreto, que também impede concessões de vantagem, aumento ou criação de cargos; limita os gastos com viagens e diárias e abertura de novos concursos públicos.

Enquanto a Secretaria da Fazenda entende que as restrições devem ser mantidas, pela dificuldade de pagar salários e despesas em dia, outras pastas reivindicam o reforço de pessoal. As brechas no efetivo policial e no quadro de professores, por exemplo, estão entre as áreas consideradas críticas.

GAÚCHA